28.2.11

Frases



"Moral da história:
Deus adora trabalhar no silêncio
e eu fazendo esse escândalo todo dentro de mim.
Desnecessário"
- Bia Amorim

*Hoje na aula de Cultura Greco-Latina aprendi que as epopéias - como "Ilíada" de Homero, qua a gente está estudando - geralmente começam "in medias res" (pelo meio da história). Essa frase é parte da minha epopéia "pessoal" e ao invés de começar in medias res, ela se faz pelo "exódio", que trata-se do verso final.

Estou falando isso, porque tem muita gente que ficou feliz e curioso em relação ao meu novo curso. Sempre que possível, quero dar uma pincelada desse mundo novo aqui no BibideBicicleta, mas só a título de curiosidade.

Oscar 2011


"Estou com um mal-estar no estômago, uma coisa que parece que está dançando na minha barriga. Talvez isso seja problemático, se isso descer para minhas pernas e eu ainda estiver no palco" - Colin Firth, ao subir ao palco como o ganhador do Oscar de Melhor Ator por "O Discurso do Rei"

Uma alegria nessa temporada de Oscar é perceber que dos poucos filmes a que você assistiu foi o grande campeão da noite. E só fui prestigiar "O Discurso do Rei" justamente por causa de Colin Firth, sua beleza na tela e magistral interpretação em cena - muito comentadas durante toda a pré-temporada. Bonitinho também perceber como ganhar um prêmio assim deixa até os "grandes" com um nervosinho indisfarçável. Natalie Portman ganhou como Melhor Atriz e isso só faz aumentar a minha curiosidade em relação a "Cisne Negro", visto e não compreendido por muitos dos meus amigos. Acho que vale arriscar, já que gosto é algo absolutamente pessoal, não? Perdi também "Bravura Indômita", que ainda quero ver; "A Rede Social", que até agora não entendi porque deixei passar no fim do ano passado; e apesar de amar Annette Bening, sei que vou achar "Minhas Mães e Meu Pai" muito cabeça para o tal do entretenimento que busco numa sala de cinema. Melhor esperar chegar em vídeo. Foi isso que fiz com "A Origem" e deu muito certo (a ilusão de poder que o controle remoto te dá, hohoho).

Uma nota final, totalmente dispensável, mas que não posso deixar de comentar... Esse ano as "mulheres deusas" não capricharam nas produções. Achei os looks das atrizes sem ousadia, com uma tendência minimalista para o Red Carpet. Os cabelos seguiram a mesma linha. Tinha gente até de curtinho. Oi? São poucas as ocasiões em que não se pode subverter o dress code e essa é uma delas. Afinal, no Oscar, o figurino também é parte do espetáculo.

27.2.11

MenGOL


Campeão da Taça Guanabara 2011
Ronaldo Gaúcho - Sem freio!


Moacyr Scliar

"Life is beautiful" © Dragan M. Babovic

Ah, gente... Morreu essa madrugada de domingo o "imortal" Moacyr Scliar, lá em Porto Alegre, sua terra. Eu fico sentida com o "desaparecimento" de um escritor consagrado, embora saiba que justamente por ser considerado consagrado, suas letras de certa forma continuam. E fico ainda mais confusa quando morre alguém da Academia Brasileira de Letras, ou seja, um imortal. Essas definições que não definem quase nada me causam confusão.

Achava o Scliar uma figura inteligentíssima, carismática até, frente a tantos imortais que a gente nem lembra o nome... E depois, sempre me causa um certo 'frisson' ao pensar na sucessão da cadeira que fica vaga na casa de Machado de Assis. A guerra começa quente, mal o corpo esfria. Acho estranhíssimo.

Então, o escritor gaúcho  morreu aos 73 anos por falência múltipla de órgãos devido às consequências de um AVC. Era formado em Medicina (!) e seu primeiro livro foi publicado aos 25 anos e o tema era justamente esse: "Histórias de médico em formação", contos baseados em sua experiência como estudante. Em 1968, publicou "O carnaval dos animais", também de contos, que considerava de fato sua primeira obra. E ao longo da vida foram 70 publicações. Sempre me espanto com quem lança mais de um livro por ano! WOW!


Scliar ganhou três vezes o Prêmio Jabuti – o mais recente, em 2009, com o romance “Manual da paixão solitária”. Esse vai para a minha lista, embora justamente nesse momento, quando o meu aniversário se aproxima, eu não faça ideia de onde eu tenha colocado a lista de livros que ainda quero ler. Se é que ela existe mesmo fora da minha cabeça.

O mundo literário sempre me seduziu (hoje mais ainda). Na época da Caras eu cobria a Academia Brasileira de Letras e, desde então, aquela casa só me desperta fascínio. Não ligo para os rituais, nem para os títulos, mas por achar que a literatura tem ali um coração.

26.2.11


ZERO - TSCHIIIIIIIIII

120

Gosto desses movimentos cíclicos. Ficamos um bom tempo sem nenhuma adesão e do nada ganhei mais três novos rostinhos no Mural da Fama Ciclista :) Dois que tive a honra de esbarrar no "Recanto das Letras" e um que veio pedalando mesmo, mostrar seu amor pela bicicleta. Não por essa que vos fala exatamente! hahahahaha

Somos orgulhosos 120 agora!
Obrigada gente! 

Talvez viver seja mesmo "fisicamente inviável"


Hoje pela manhã eu li que a menina Crystal não resistiu ao afogamento e morreu. Um anjo que cumpriu sua curta missão aqui nesse mundo. Que esse seja um alerta para a nossa vida, em amplos sentidos. Não falo apenas de direção perigosa. Não falo apenas do combo terível que é álcool + direção. Não falo apenas que a gente deve estar de certa forma "preparado" para as fatalidades da vida...

Ontem, falando aos meus amigos, cheguei a uma reflexão diferente. Quantas vezes a gente não toma uma atitude idiota, não faz uma MERDA (vamos falar explicitamente) e de certa forma somos poupados da consequencia real e imediata dessa atitude impensada? Muitas vezes eu fiz escolhas erradas, de cabeça quente ou fria, e temi pela consequencia. Muitas vezes fui poupada, mas outras vezes tive que enfrentar a barra (e todo o seu desenrolar natural). Isso também é aprender e talvez seja uma das formas mais profundas de aprendizagem. Acho complicado restringir sentimentos a suas conceituações.

Tudo na vida é causa e consequencia. Escolhas e renúncias se nos apresentam a todo instante e a gente tem que estar pronto para se posicionar. Maturidade é um bom aspecto para se ter junto. Experiências, nossas e de outras pessoas, nos apontam para uma direção; embora não façam o caminho. Serenidade sempre. Sabedoria em Deus também é um princípio bastante pessoal que deve sempre ser levado em conta. Razão e cabeça fria. Mesmo assim, há indícios e nunca fórmulas prontas como os propostos da Física. Talvez viver seja mesmo "fisicamente inviável" e ainda assim a gente faz essa aposta rotineiramente.

25.2.11

Pedalando


Aula de direção: ré
E quem disse que andar para trás, também não é um modo de andar para frente?
Rumo à rua e lá vamos nós!

***
Unhas pintadas: vinho da Impala
Safra da boa!
Brincos de pérola negra.
Maxxióculos quadrados
Coque
Caderno na mão
Ideias na cabeça
Resumo: Eu

***
Momento caos o dia:
Ir para o centro da cidade bem na hora da concentração do Cordão do Bola Preta (bloco de carnaval tradicional que lota as ruas de gente, cerveja e xixi também de forma tradicional)
#EuOdeioCarnavalnoRioFeelings

***

Chorei ao ler a notícia da menina que caiu em um rio no bairro do Recreio (acidente de carro) e ficou 20 minutos debaixo d'água e foi salva pelos bombeiros. Chorei mesmo, de abrir o bocão. Isso já aconteceu comigo de forma bem semelhante, um pouquinho mias velha que ela. E Deus me salvou. Milagres acontecem por um motivo maior que só Ele sabe. Mas milagres acontecem. Eu estou aqui e oro a Deus para que ela também tenha um futuro pela frente. Cristal...

***
Estou estranhando e adorando o fato de ter dever de casa... hohoho

***
- Bibi, eu preciso de você!
Eu ouvi essa frase hoje.
Duas vezes! 
Comum, mas sempre forte.
O mais engraçado?
Eu também ando precisando tanto de mim...
Vamos que vamos, tem para quase todos!

Calligares


"Duas possibilidades:
o amor surge quando está na hora de a gente se transformar
ou, então,
é por amor que a gente se transforma.
Não é necessário tomar partido:
talvez as duas sejam verdadeiras"
- Contardo Calligares na Folha de São Paulo


textos e músicas


24.2.11

French Nose


"Smelling the sweet fragrance of the Seine river..."

Doutorando em Física, fala 4 idiomas e tem um bom humor único e rápido.
E ainda diz que adora o que eu faço! 
Amo, amo, amo
L:)

118

Hummmmm
118 ciclistas oficiais!
Bom saber que o "Recanto das Letras" está me dando bons frutos aqui também.
Anjo das Letras sua presença me deixa feliz!

Café com Freud (de saias)



Essas aqui são as nossas notícias soltas:Consegui encontrar duas pessoas especiais no mesmo dia. E caramba, como era difícil marcar um encontro com elas. Essa coisa de agenda, quem pode entender? Uma dessas pessoas eu nunca tinha visto ao vivo, mas a gente trocou tantos emails carinhoso, que era como se a gente já tivesse desenvolvido uma longa convivência. E, de certa forma, assim não é?




Eu tinha uma crônica para escrever sobre o segundo encontro, com a Cecília, que é minha amiga e escritora de sucesso. Mas vou deixar, por enquanto, a nossa história restrita ao pessoal. O que eu posso dizer é o seguinte:

* Um café com alguém que se ama pode ser mais efetivo (e claro que é muito mais afetivo) e infinitamente mais barato que deitar em um divã Freudiano. Nos tempos que vivemos como ilhas isoladas em nós mesmos - e ninguém pode negar que a modernidade nos empurra para um novo estilo de solidão - estar com quem se importa renova o espírito e revigora corpo e mente. Não é nem preciso tanto: olho no olho, sintonia na vida, palavras sinceras e um ombrinho pra gente colocar o nosso mimimi. Afinal, poucas são as mulheres que não tem um mimimi na manga!

Escrevi sobre isso no meu diário: "Adoro nosso papinho de meninas intelectuais e donas dos seus quereres. Que amam com ardor e deixam a paixonite guardada debaixo do travesseiro para ser usada apenas quando necessário e/ou ansiado. O meu romantismo anda saindo mais da fronha, mas quem disse que existe certo ou errado nessa questão? O bom é isso: não há!".

***
Foto: G1

A natureza me surpreende tanto. Vocês repararam que logo depois que mais de 100 baleias apareceram mortas nas praias da Nova Zelândia (eu nunca fico alheia a esse fato, porque são fatos e fotos que me machucam), aconteceu um dos maiores terremotos naquelas bandas? Vai me dizer que não há relação? (pode me dizer que eu sou leiga, mas bem 'credulazinha' numa teoria da conspiração animal).

***
Oh, céus, o mirim-colírio-espetáculo se sentou novamente ao meu lado. Ele me falou sobre o novo estágio e me deu dicas de onde almoçar. Também fiz amizade com uma moça do Recife de cabelos vermelhos. E com a dona da banca de jornal - que obviamente vai virar um point para mim. Perdida na grade do curso. "Fazer amigos" - devia escrever sobre essa arte :) 


Avó da Mafalda


Estou adorando perceber os meus professores. Isso mesmo, não é conhecer, mas perceber. Não queria falar deles aqui, porque tenho medo que alguém entre e se ofenda. E a minha intenção ao escrever nunca é essa, porque não sou uma pessoa de má indole...

Mas o ser humano é muito interessante e diverso, não é? Tem uma mestra que é portuguesa, mas é a cara da personagem argentina Mafalda. É praticamente a avó da Mafalda, mas sem ser a Vovó Mafalda, entendem? Inteligentíssima e engraçada (ela perguntou se a gente já estava no século 22 e quando percebeu o erro, disse que era velhice, porque ela é de AC, Antes de Cristo hahahahaha).  A Avó da Mafalda dá aula sem encarar os alunos. Ela olha para o chão (ou para o quadro), como se morresse de vergonha das pessoas. É mole? Acho isso tão curioso para um mestre, não acham?

"Comer, Dormir e Babar"


Ando com um problema sério. O horário da primeira aula é 1 da tarde. Para quem gosta de acordar tarde e dormir tarde, pode parecer uma "mão na roda". Não se mostrou eficaz para mim, no entanto. Por causa justamente do horário de saída dos colégios cariocas, eu pego um trânsito MEDONHO. Sim, meus caros leitores, parece que todos os colégios do Rio de Janeiro se encontram no meu trajeto.

Exageros à parte, tenho levado duas horas para chegar à faculdade. O que me faz sair de casa às 11AM. O que leva o meu almoço para as 15PM, hora do rápido intervalo. O que me faz ter vontade de COMER A MÃO durante a aula, porque meu café foi digerido às 9:30AM. Fico roendo a tampa da caneta, oh céus! Melhor que roer a unha, que continua um espetáculo.

Só que ontem eu percebi que esse não é um problema só meu - aparentemente. Existe um ônibus que liga o metrô à faculdade. Este, obviamente, fica cheio de estudantes. No meu horário, para ser mais precisa, fica lotado. Uma mocinha, conseguiu a façanha invejosa de se sentar em um dos cantinhos do coletivo. Quando este começa a andar, ela saca da mochila uma MARMITA e manda ver na refeição. Não é preciso dizer que o cheiro se espalha. Coletivo com ar e sem janelas... E ela ali, concentrada no ato de se alimentar, sem se importar com a interferência dos olhos (gulosos) que vinha de fora (sabe que até fiz uma alegoria mental de uma leoa com a zebra na boca e as hienas em volta com aquele sorrriso salivoso e amarelo??).

Eu fiquei meio chocada. Comer assim em público (obviamente em um lugar que não foi feito para tal)?! E ela nem ai (igual a esse povo que almoça perto de cadáveres na sala de anatomia ou no necrotério - as vezes penso que isso é mais uma lenda urbana). Após a refeição, a moça guardou o marmitex e mascou um chiclete, que claramente era a sua versão para "escovei os dentes como o dentista orienta". Colocou o sei i-pod no ouvido (a nova geração te ouvido biônico, anotem isso) e se desligou - ainda mais - dos demais. A moça simplesmente dormiu de babar, recostando a cabeça, antes dançante, quase no colo da sua vizinha, que gentilmente a empurrou em direção a janela. E ali a moça ficou. Babando (afinal, depois de comer, dá mesmo aquele soninho. A siesta à brasileira).

Quando essa senhora se levantou, eu me sentei em seu lugar. Não querendo ficar para trás, dei a minha contribuição à louca história. É para ser estranha?! Ahhhhhh tá bom! Saquei a minha insulina da bolsa e tasquei "dezinho" no braço esquerdo, com aquela naturalidade que é velha conhecida de quem já me viu em ação. Ninja da agulha! Se para ela foi "Comer, Dormir e Babar", para mim foi "Babar, Injetar e Viajar". Não necessariamente nessa ordem :) 

23.2.11

MÊS QUE VEM O BIBIDEBICICLETA COMPLETA 5 ANOS...
WOW, foi só eu que não vi o tempo passar? "Créu" velocidade 10!

Soltas e recados


É claro que tenho histórias para contar, mas cheguei supertarde em casa. Estou mortinha... Vou tentar deixar para amanhã, o que eu poderia fazer hoje. Só que amanhã tem aula de direção cedo, cedo e a moça em questão tem que estar bem "dormida". Os tópicos:

* Comer, Dormir e Babar - hit no metrô
* Dois encontros especiais em um dia
* Aula com a Mafalda
* Cecília, o meu divã favorito
* Baleias e terremotos
* Olhos da alma (essa tem dias que quero contar, mas merece ser escrita com bastante tempo para se pensar nas palavras)

RECADOS:

Luke - Te vejo em cada esquina da faculdade e sonhei poder te encontrar por lá. Nosso timming está meio atrasado!

Bino, J25, Fernando, Anônimous - Vocês ainda pedalam por aqui?

Jorge Brasil - Tem recebido os meus "deliverys"?

LineShi - Volta logo, por favor?

Minha Mãe e Minha Tia de 80 anos lêem o BibideBicicleta. Estou bombando na WEB! Ou seria, estou babando na WEB? ihhhhhhh

Sem mais, me despeço: boa noite amiguinhos e boas pedaladas!

22.2.11

trabalhando nas categorias de base


Volta às aulas:

O trânsito deu um nó na cidade do Rio de Janeiro hoje. Nem sei quais foram os motivos, mas esse fato me deixou três horas dentro do coletivo, na ida e volta da faculdade. Sendo que a primeira aula foi bem curtinha, de apenas 1 hora. Ou seja: mais tempo indo e vindo, do que sendo.

Certas coisas valem a pena. Já bri o bocão na primeira aula, discutindo um tema humano-religioso. E eu adoro um debate, principalmente quando sei do (tenho base no) que estou falando. E mesmo depois de sair da sala ainda me achando a TIA da parada, nem achei ruim quando um GATO de 19 anos veio me perguntar sobre a minha carreira de jornalista (trabalhando nas categorias de base, hohoho).

Minutos depois, já na xerox, para pegar o  primeiro texto dever de casa, um outro mirim da turma pagou a xerox para mim. O sorriso quase rasgou o rosto, vocês podem imaginar. Nunca fui acostumada com tanta gentileza! MEO DEUS! É muita fofura para um dia tão curto. Pena que perdi o humor mofando no ônibus, mas toda vez que vejo aquele papel, sinto um "bônus track".

Baby Rosé

by BibideBicicleta

Deus é um cara cheio das sutilezas. Gosto muito disso. E a história de hoje vem de encontro com uma das frases que cunhei aqui, a que diz que "Deus é um com cada um...". Engraçado perceber isso dias depois de ter elaborado a questão e de uma maneira absolutamete diferente da motivação que me fez escrever.

A secretária do antigo trabalho me ligou no fim da semana passada dizendo que havia chegado uma caixa endereçada a mim lá na redação. E pediu para que eu fosse o mais rápido possível, porque a caixa era grande e ea ocuparia muito espaço no único armário que se tem para guardar as coisas.

Achei o fato interessante, porque o costume em outros lugares é o de que uma vez que a pessoa saia, os "presentes" imediatamente param de ser entregues. E ali não foi assim, o que eu achei até bem legal. Por isso mesmo não tardei a aparecer para ver qual era da caixa.

Ao chegar lá, percebi a sutileza da questão. A caixa ENORME guardava apenas uma garrafa de Baby Chandon e três bem-casados de doce de leite. E esse presente me foi entregue justamente no primeiro dia de faculdade, ou seja, tive que brindar a esse novo tempo da minha vida. Veja bem, se a caixa não fosse grande (e cheia de lugar vazio), eu não teria que ir com pressa buscar o seu conteúdo. E fui justamente NO DIA EXATO de brindar!

Então que seja um brinde ao céus por esse novo tempo na minha vida! TIM TIM 

"Quando Pedro me fala sobre Paulo, sei mais de Pedro que de Paulo"
- Freud

* Uma contribuição inteligente e interessante da deliciosa Andrea Vargas!

21.2.11

Frase

Foto da maravilhosa Vivian Fernandez

"Quando penso que estou me cansando de escrever nesse livro de vida (e não da vida), vem a própria vida e me brinda com novas páginas
e possibilidades de tintas quase infindas.
Só faltava eu misturar cores e texturas.
E eu me jogo nessa fábula real, que nasce no consciente do meu inconsciente.
Ou se apresenta para mim de surpresa,
como um sorriso espontâneo de um fato cotidiano"
- Bia Amorim

Frase


"E quando nada mais importa, há os que te mostram generosamente o que realmente importa. Esses importam e se importam muito"
- Bia Amorim

Frase


Foto de APPellegrino by Isadora de Andrade

"E quando tudo parece escuro e sem sentido, o riscar de um fósforo já te parece uma bela solução (ou um virar de isqueiro). Acho divertido riscar fósforos com propósitos existencialistas. E por que não também surrealistas?" - Bia Amorim

Primeiro Dia de Aula


Primeiro Dia de Volta à Faculdade...

Nervosa, claro!
Primeira a entrar na sala (dando bandeira, não acham?). Os outros alunos estavam com medo de entrar e demoraram bem uns três minutos antes de fazerem o mesmo. Resultado? Como náufraga num mar de cadeiras. Okey, né?

Sentei no meio e na frente, ou seja, vesti a carapuça de nerd no primeiro segundo. Continuei aquela ilha em forma de pessoa, com as cadeiras em volta. Até a chegada dos professores, que se sentaram ao meu lado. Ou seja: praticamente um suicídio social.

Vejo entrar na sala um monte de gente mirim de all star, short e espinhas.

Não posso reclamar de estar totalmente fora de contexto com a minha saia branca e sapatilha de oncinha. Eu também exibia a minha espinha. Toda a vez que fico nervosa, nasce uma bendita e enorme para me dedurar... Dessa vez foi no nariz, que me deixou meio bruxa, meio rena de Papai Noel. Taí uma comprovação do ditado de que "há males que vem para o bem".

Sou a TIA da sala. Só tem gente de 18 anos, meu Deus! Fico mais aliviada quando chega a AVÓ da sala, com aquele monte de perguntas sem sentido e fora de ocasião. Eu tenho paciência com a terceira idade (velha conhecida no setor), mas não suporto gente que se acha o último Bis do pacote. No caso dela, a última rosquinha da caixa de papelão.

Vejo veteranos entrando na sala. O medo me consome. Níveis extraordinários. Não quero levar o terceiro trote. Duas faculdades já me ensinaram essa lição. Devia existir o tal do aproveitamento de matéria em relação ao trote também, não acham? Depois dos 30, pintada no sinal pedindo dinheiro é caso de internação, não é? Não faz sentido... E, ufa, nem era trote, era mais uma apresentação das possibilidades do departamento de Letras. Quero fazer tudo, mas nem acho que vá ter tempo. Medo, medo, medo...

Amei o campus. Amei o departamento. Amei saber dos meus amigos que estudam na mesma Universidade. Amei conhecer alguns professores de "nome" no mercado. Amei até sentir medo, porque a paixão por algo ou alguém também nasce com o componente medo em seu composto. A paixão nos move, nos faz avançar a passos largos... Mas quando ela se transforma em amor, ai é que tudo fica melhor! Quero amar o que faço. E que Deus me ajude! 

Comprometida

Sei que longas viagens de coletivo me aguardam nessa nova etapa da vida. Ao mesmo tempo que ando sonhando com o dia da alta na clínica de direção (para quem tem medo de dirigir), também fico contente com o fato de que a minha leitura vai avançar bastante. Eu amo ler em coletivos - FATO. Isso quando não durmo ou quando um aspecto neurótico do cotidiano não me toma toda a atenção - e depois vira história.

E em pouquíssimos dias de entrega ao contidiano proletário urbano, já acabei com a biografia da Oprah Winfrey, com "Comprometida" e agora sigo com firmeza na leitura de O Semeador de Ideias, que é o terceiro volume de uma saga bem estruturada por Augusto Cury. Esse autor, sem dúvida, é um dos caras que gostaria de entrevistar, de sentar para conversar sobre vida e escrita, assim como fiz nos primórdios com Pedro Bloch, o homem que despertou a mágica da literatura na minha vida.

Outro dia vi um link do BibideBicicleta em um site que fazia resenha de filmes e indicava blogs que faziam o mesmo. Cuma? Daí pensei que assim como falo de livros, vez ou outra também dou meu parecer sobre filmes, o que não me torna especialista nem em uma coisa e muito menos na outra. Mas tinha uma definição de jornalista que eu amava quando faziam referência: "especialista em generalidades". Pode soar meio pejorativo, mas me agrada a ideia de poder falar um pouquinho de cada coisa sem necessariamente ter que se apronfudar demais nelas.

Então vou terminar o texto indicando o livro "Comprometida" de Elizabeth Gilbert. Eu simplesmente devorei esse livro (que é bem feminino, tá? Mas não é no estilo girlie não, pode agradar a ala masculina dotada de um nível 2 de sensibilidade). Essa é a mesma autora do mega sucesso "Comer, Rezar, Amar", que vendeu mais que pão quente pelo mundo.

Quanto a esse primeiro tive lá minhas ressalvas, mas cheguei confiante até o final do livro. Lembro que quis meio que imitar a ideia da autora que foi a Itália, Índia e Indonésia. Já eu queria ir de Nova York à Nova Zelândia. E voltar nova para o Brasil. Não rolou, mas quem sabe um dia? Não abandono e nem aposento meus projetos, eles apenas adormecem na imaginação. Ainda quero dar a volta nos EUA em um carrinho de Montanha Russa, por exemplo.

Em "Comprometida", Liz Gilbert fala sobre a questão do casamento historicamente e de uma perspectiva bastante pessoal (e divertida). Ela tem pânico da ideia, depois que saiu de um divórcio complicadíssimo. No fim do primeiro livro ela encontra o tal "par perfeito", que também é avesso à casamentos pelo mesmo motivo. Mas o destino lhe pregou uma peça: para não perder esse grande amor, ela se vê obrigada a sucumbir à ideia. O desenrolar da trama é bem realista, sem romancear demais o fato já tão glamurizado e esteriotipado por tantos.

Claro que me encontrei em alguns momentos. Questiono (ainda hoje) a necessidade da cerimônia de casamento, que as vezes me causa arrepios... Mas as vezes também me causa muita comoção, como quando fui madrinha de um em que cada coisa estava em seu devido lugar, pronta para mostrar que amar sempre vale a pena. Até em detalhes. E cada um tem o seu detalhe, não é verdade? Bom é juntar os detalhes, aparar as arestas e formar uma significação que perpetue para toda a vida.

  

20.2.11

Pernóstica - adj pop Petulante, pretensiosa...

Back to school


Assim é que eu me sinto
em relação ao dia de amanhã!
Humor de hoje...

Frase


"Deus é um com cada um e o mesmo para com todos"
- Bia Amorim

PS: Veja bem a sutileza de empregar as pelavras certas nos lugares certos. Eu não disse que Deus é o mesmo para todos, mas sim o mesmo para com todos. Obviamente os que nele acreditam (e ouso a pensar que até mesmo para os que não acreditam, porque Deus está onde sempre esteve).

18.2.11

Quem?

Uma curiosidade que me persegue há tempos. Já fiz um apelo aqui, que não surtiu o resultado desejado por mim. Mas a saga continua:

- Existe alguém de Mountain View que sempre acessa o BibideBicicleta. Gostaria tanto de saber quem é!?

Fui dar uma conferida nas opções que o mapinha me oferece e percebi que são 4 "pessoas" de lá (ou a mesma pessoa que acessa de 4 lugares diferentes). WOW! Sensacional... Eu só queria saber quem é você...

17.2.11

Keep it

Hoje ele me disse: "Você não pode perder para você mesma". E essa frase me tocou num profundidade tal, que me emocionou de ir às lágrimas. Uma frase que me deixou muito feliz, mas que não sei se tenho forças para transformar em texto. Será? Keep it.

Garota Verão

Na questão da moda, nunca vanguardista. Não faço a linha à frente do seu tempo e nem mesmo a que segue o último grito fashion da temporada. Fugir da moda também é uma tarefa inglória, porque as lojas só vendem tendência. Assim, tento misturar clássicos, neutros, padrões com algum item que chame mais atenção (e disfarce minhas imperfeições, o que é a parte mais chata de toda a caçada consumista na busca de um estilo).
Claro, há também um pouco de inércia em relação a movimentos. "Todo mundo só fala disso"... Eu ouço, compreendo e continuo no meu quadrado, flertando vez ou outra com a ocasião. Por exemplo: acho bárbaro esse frisson quem começou há um tempo em relação a esmaltes. Tem muita mulher doida com isso. Eu percebia a tendência, mas me mantinha fiel ao meu mal hábito de roer unha. Antes, ficava no básico vermelho e branco. Só que agora a minha unha cresceu! Comecei no branquinho tradicional e depois passei para um vermelho de nome bem sugestivo: "Deixa Beijar". Hummmmm

Os esmaltes agora possuem esse atrativo plus, que são os nomes à revelia das cores... Acho até antropológico. Um fenômeno digno de nota. Há mulheres que reconhecem as cores pelos nomes. E isso não no vidro, mas na mão da colega. Para mim isso é o ápice. Acho sensacional, vamos deixar o preconceito de lado, já que essa é uma tarefa para uma boa observadora. Sou detalhista, mas não me atenho à detalhes (hehehe).

Então hoje era dia de fazer a unha. Havia decidido colocar um pretinho mórbido. Cheguei ao salão meio tristinha e a manicure logo percebeu. Um adendo: manicures tem um pé na psicologia com certeza! A melhor universidade é a vida, meu bem!. Voltando ao assunto, ela tenta me fazer um pouco mais perua nessa área, mas sempre me apresentava soluções radicais para a primeira experiência fora das cores clássicas. Hoje ela falou: vamos levantar esse astral com "Garota Verão".

- Oi?

Achei que ela estava me sugerindo ir à praia, juro, mas não! Era o nome do esmalte. E vem a moça com um vidrinho laranjão!



- Esmalte ajuda a melhorar o astral, baby!

E aplicamos duas camadas generosas de "Garota Verão". Tive a minha iniciação com louvor, porque depois da mão feita, eu não paro de admirar as minhas unhas!!!!! Que levante que um simples esmalte me deu, gente! A mão chega na frente de todo o corpo praticamente para fazer qualquer atividade! Olha a mão me faz sorrir, igual aqueles bebês que descobrem os dedos e ficam sorrindo sozinhos para aquele objeto que é extensão de seu corpo...

E, para completar a entrada nesse mundo das tendências: meu smartphone chegou aqui em casa. É branco e a cor não fui eu que escolhi. Mas o contraste com o esmalte ficou excelente. Então: tá valendo! hahahahaha 

Mendigo Aposentado



Tantas histórias passando pela cabeça hoje, que fico me perguntando (antes de escrever) se essas crônicas ainda interessam a alguém... Tomara que sim. Enquanto houver o desejo de transformar fatos em histórias, eu continuo. Público também, obviamente!

Quando contei aqui a história da "benção do mendigo", o Saulo fez um comentário em forma de "pedalada" interessante sobre o que aquela história o lembrou. E acrescentou que tenta conservar o hábito de sempre falar com os mendigos na rua. Numa cidade como o Rio de Janeiro, talvez isso não seja uma coisa tão prudente a ser feita (e a prudência às vezes tem que ser maior que a necessidade da benevolência ou educação, talvez). Há todo tipo de gente na rua, não é mesmo? Assim como na vida, há os bons e os maus.

Hoje, mais uma vez encontrei o mendigo da benção. Estava no mesmo lugar, mas certamente o dia dele havia sido diferente: estava com os cabelos mais curtos! Dessa vez fui que eu falei com ele:

- Opa! Como vai?
- Eu vou muito bem! Vai com Deus! 

E ao chegar à casa, minha Mãe acabou me dando uma informação curiosa sobre a situação de alguns mendigos. Ela havia ido ao INSS para tentar pleitear uma aposentadoria para uma senhora (terceira idade) que ela conhece e que passa necessidade em família, porque só o marido ganha (e pouco, bem pouco para tanta conta). Fato é que ela não pode receber, porque nunca contribuiu e o marido recebe R$ 50,00 a mais que o mínimo, parece. Mas há mendigos que recebem o benefício, porque todo cidadão da terceira idade tem direito a receber um salário mínimo!

Isso me levanta tantas perguntas... As mais bobas, porém pertinentes: que endereço será que eles fornecem? Você já viu um "dingão" na fila do banco para sacar a tal da aposentadoria? Onde eles guardam o cartão do banco? (sem trocadilhos, por favor). Que país estranho, cheio de contrastes esquisitos...

16.2.11

Aula de direção de hoje: ladeira
Vai demorar, mas eu sei que vou adorar dirigir!
Eu sei!

A benção do mendigo


Eu já contei aqui que eu fui consolada por um mendigo em Copacabana. E esse talvez tenha sido o episódio mais estranho do meu currículo. Já contei que a minha tia tinha um "mendigo de estimação", que oferecia cerveja babada só para ela. Uma graça de pessoa o Marílio. Hoje rolou mais um encontro...

Estava caminhando numa rua movimentada, mas residencial, aqui perto de onde moro. Passei por aquele senhor sentado no chão, perna dobrada sobre uma bengala. Assim que me viu, abriu um sorriso gostoso, como se me conhecesse ou me visse passar todos os dias:

- Oi!
- Oi!
- Como foi seu dia hoje?
- Foi bom.
- Trabalhou muito e está indo para casa. Faz bem.
- E o seu dia, como foi?
- Igual, mas foi bom. Vai com Deus e que Ele te proteja.
- Amém.

Depois eu fiquei me perguntando: como poderia ter sido o dia desse sujeito, né? Mas ele estava sendo tão simpático comigo, que eu também quis perguntar alguma coisa. No começo, achei que ele fosse me pedir dinheiro, mas ele nem tocou nesse assunto. O que para mim foi um tapa com luva de pelica. O que ele queria? Atenção, troca, inteiração. E não é justamente isso o que eu busco tanto e sempre na minha vida? Esse fato me aproxima demais de um senhor mendigo que fica na rua oferecendo um sorriso e um tipo de benção.

Eu estava com a cara emburrada, perdida em pensamentos tolos. Ele me fez sorrir. Engraçado como o motivo para sorrir pode estar escondido onde a gente menos espera. Onde a gente nunca suporia... Não foi uma gargalhada, como se eu achasse graça dele, mas aquele sorriso que não se apaga facilmente do rosto, porque traz consigo uma profunda lição.

personagens são pessoas

Hoje eu me peguei com a seguinte ideia: personagens são pessoas que moram na nossa cabeça. Habitam a nossa mente até virarem literatura (ou um desenho), quando então seriam divididos com o "mundo".

Faz sentido para você?
"Farol no mar da incerteza"

15.2.11

As notícias


Ariadna na Playboy...
Finalmente alguém para mostrar algo diferente na revista!
(e dessa vez eu nem estou falando do tipo de depilação...)
E dai?!

***
"Marta Rocha é a nova chefe de polícia do Rio"
- Tem como não pensar na Miss homônima assumindo a 'poliçada'? Seria o contrário do filme "Miss Simpatia" com a Sandra Bullock, que foi do coturno à passarela.

***
Não estou aguentando essa onda neon. Dia desses a adolescente estava com um sutiã que me cegava! Pior são as unhas quilométricas com a tinta cegadora... Isso é arme de defesa pessoal! Tinha que rolar um porte de arma...

***
Ontem saio da loja da Vivo bufando. Essa coisa chamada burocracia ainda mata um do coração - eu, inclusive, que guardo a raiva ao máximo para não descontar no pobre do funcionário. Mas assim que saí pela porta principal do shopping, um homem estava com o seu violino tocando "Imagine" em busca de uns trocados. Queria saber simplificar a minha vida como me testificam certos fatos cotidianos.

Frase



"Que bom que quando nada mais importa: você se importa"
- Bia Amorim


Frase

© Techo


"Eu convivo comigo mesma há mais de 30 anos e ainda me venho com essa: como é difícil ser eu. Melhor continuar tentando e descobrindo novas formas de persistir (ou resistir). Somos todos os previsíveis mais imprevisíveis que conhecemos"
- Bia Amorim

Soltas

Acho um perigo parar de escrever, porque a gente perde mesmo o ritmo...
Eu ainda não me organizei internamente. Eu sinto isso.

***

As poesias, frases e pensamentos que eu já publiquei aqui estão bombando no "Recanto das Letras". Estava com medo, mas agora me pergunto:

- Por que eu não fiz isso antes?

Tenho recebido muito carinho, pelo qual sou imensamente grata :)

***
Dia desses...
- Mãe, faz um grande favor para mim?
- Qual? Te dar banho?

Cuma?
hahahahaha
De onde ela tira essas coisas?

***
Dia desses...
Eu e Professor Xéu na porta do cinema.
O cara pega o nosso ingresso e eu olho para a sua foto no crachá:

Bibi: Cortou o cabelo!
Cara do Ingresso: Foi... (meio rindo, meio assustado)
Bibi: Ah, assim ficou muito melhor
Cara do Ingresso: Você gostou mesmo?! Assim está melhor não é?
(Todo animado de alguém ter reparado)
Professor Xéu: Tá simpática hoje, heim!?
Bibi: Adoro gente, quando não estou odiando gente!
(Risos)

Uma velha com a maior dificuldade com os degraus.
Professor Xéu: Segura no meu braço vovó! Vamos lá, tem mais um degrau!
Bibi: Tá simpático hoje, heim!?
Professor Xéu: Ihhhh... Isso pega!
Bibi: Não! Ela que tá pegando!

Apaga a luz e roda a "manivela", melhor começar o filme!

***
Vou falar para vocês: dar presente a quem se ama é tão gostoso quanto ganhar presente de quem se quer bem. Bia Bug fez aniversário e eu sou a pessoa mais desligada com formalidade de datas (detesto dar presente quando todo mundo dá). Não dei presente. Isso não é novidade no meu CV.

Uma semana depois, encontrei dois livros que achei que, digamos, lhe cairiam muito bem (sobre SEXO. Calma! Ela fez pós em sexologia e acho que esse seria um caminho muito legal para a carreira de bióloga que ela abraçou. Mas ai vai da minha torcida interna - sem trocadilhos, por favor).

Enfrentei uma maratona de ônibus sob um calor de 38 graus e ainda subi uma ladeira ENORME a pé e de salto alto com dois "volumes volumosos" na mão só para fazer a "entrega". Suada e com sorriso. Cheirosa sempre, vamos deixar claro. Sorrisinho no rosto da amiga, que mostrou muita consideração. Bem sei que era mais por mim, que pelos livros em si. Mas esses gestos são tão significativos.

***
Hoje eu me tornei oficialmente uma universitária outra vez.

***
Amigo meu contou que vai a Pamucalé (Pamukkale) no meio do ano.
Eu fiz um escândalo de alegria.
-AHHHHHHHHHHHHHHH!
Outros amigos me olharam espantados:
- Quem mais teria o sonho ansioso de conhecer justamente esse lugarzinho na Turquia?
Eu, eu, eu, eu!

***

Liguei para o Luke assim que terminei a minha matrícula na Universidade que por tantos anos foi a sua casa.
Ele ficou um tempão me perguntando detalhes de tudo.
E eu contando.
Ouvi então barulhos estranhos, de outras pessoas.

- É que eu estou em reunião agora.
- Como assim?!!!
- Acho muito mais gostoso falar contigo que participar de qualquer reunião.

:)

Eu registro essas frases para mim, para sempre, para saber de fato o que já sei no ato silencioso do coração. E o coração, é fato,fica quieto no peito, mas é sempre bom a gente encostar o ouvido para escutar o seu pulsar. As vezes ele pulsa em palavras. As vezes ele pulsa em intenção. As vezes ele pulsa pra sempre numa história escrita no tempo. Um tempo que não se perde nessa pulsação.

***
Cabelos presos em coque e brincos de uma pérola grande.
Hit da estação.
Versão rabo de cavalo para as tipo estudantes.

14.2.11

A seriedade é a mesma!

Ok, a gente nunca sai bem em foto de passaporte (Ok², exceto a Tyra Banks que já foi contratada para uma campanha mostrando apenas a foto do passaporte e faz disso uma lição para as futuras modelos ou aspirantes a... o que não é meu caso nem de longe). Mas até que essa dai não foi das piores, não é mesmo? As minhas duas últimas foram tiradas em uma época deprê total, então, estou que nem a música "jogando as minhas mãos para o céu". 

Eu não consigo sorrir para foto de documento. Fato. Sempre acho o processo meio nervoso, meio tenso. E isso é fatalmente transmitido para o retrato. Principalmente porque também não conheço o retratista! hahahaha Não dá para forçar uma intimidade nesse nível, não é? "Mostra as canjicas", já ouvi a minha Mãe dizendo... Mas esquece! Canjica para estranhos só em festa de "São João" e estamos um pouco longe do meio do ano (forçado, eu sei, mas me dá o seu melhor sorriso amarelo e vamos em frente)...

Agora, cá entre nós: era mesmo para o cara do consulado me confundir com uma criança? (como eu contei há alguns posts atrás)Forçou a barra, não é? Mas eu até que gostei, não posso negar. Que mulher depois dos trinta não vai ficar feliz com essa matemática puxada para menos? (eu sei, eu sei que tem muita amiga satisfeita com a sua quilometragem, mas estatisticamnte, a regra do dois quilos a menos sempre e do alguns anos para baixo se possível ainda vale)

Então postei a foto do meu primeiro passaporte para você me dizer se o tempo foi genereso comigo. (Foi? Foi? Foi?) Cerca de 20 anos separa um registro do outro (Gosto disso... Voltar no tempo sem medo). Tirando o fato de que eu tinha o cabelo liso naturalmente e que estava a cara da geração que usava a pomada "rayto" para se bronzear na praia, no mais, tudo bem... A seriedade é a mesma!

Tempo, tempo, tempo, tempo... Senhor de tantos acontecimentos...

13.2.11

Facing


Buscando um pouco de criatividade.
O calor adormece os meus neurônios...


10.2.11

Olha o foco

Foto Vogue

Marquei encontro com um amigo na região boêmia carioca zona sul. No caminho, ele me ligou, avisando que se atrasaria. Em outra épocas, isso me deixaria chateada, não agora nessa fase "qualidade de vida".

Era cedo para os padrões dos bebedores da cidade. A parte em que eu estava, com ar condicionado, fica ainda mais vazia. Só os não-fumantes. Nada de relevante parecia acontecer. Peguei um livro para passar o tempo e pedi um chope. Na metade do chope, o livro foi para a bolsa. O que saltou para fora foi o bloquinho e a caneta. Toca prestar atenção em volta e fazer anotações crescentes...

Moral da história: "Como as pessoas se tornam muito mais interessantes depois de dois chopes". Ou também poderia ser: "Como encontrar graça no cotidiano munido de papel, caneta e dois chopes como combustível".

Ele chegou antes que eu pudesse fazer qualquer tipo de interação. Ele pediu caipirinha; eu, coca-light. Vamos manter a noite bela, não é mesmo? E em foco! rs

Mãe de mim mesma

Histórias cotidianas...


Como eu falei aqui, ontem foi dia de ir até o consulado renovar meu visto americano que já havia vencido há quase um ano. Eu sempre fico nervosa, mas acabei concordando comigo mesmo que é mais por uma pressão ou opressão coletiva, que real motivo para temer. Aqueles fantasmas urbanos modernos que viram lendas apavorantes em função de uns ou outros.


Fato é que estava um calor de lascar. E se menciono isso - e tenho falado sempre - é que as condições de temperatura e pressão alteram humores e condições. Alteram também o vestuário. A gente quase que tem que usar uma roupa a prova d'água interna, de tanto suor.


Fui lá para aquela famigerada fila que fica na porta, na rua, não mais sob o sol porque fizeram a gentileza de colocar um toldo. Ele já estava lá da última vez que fui. O que também não mudou é aquela espera meio ansiosa do lado de fora, com todo mundo em fila indiana, se desfazendo de seus celulares - é proibida a entrada com a aparelhos eletrônicos - cheios de papéis, pastas, passaporte e fotos.


Lá dentro o processo mudou bastante. Raio-x da bolsa, que não me lembro de outrora, e raio-x de você mesmo, igual em um aeroporto. Pega-se a senha e espera-se para ser atendida. Surpresa legal é que no atendimento a gente via 3 consulesas. Sim, todas mulheres e uma mais diferente que a outra. Gostei de ver.


Agora o que mais me chamou atenção é que lá fora, agora, existe umas pessoas que checam se você está com a documentação certa, antes mesmo de você entrar no consulado. O que é de uma baita ajuda. E o carinha pegou as minhas coisas. Impresso do dia marcada, impresso do agendamento paga, guia de pagamento do banco, passaporte... No meu caso, tive que dar dois, porque o visto está em um e o passaporte válido é outro. Assim que ele viu os dois passaportes, pediu:


- Foto 5 X 7!
- Está ai
- Ah sim, tá aqui sim (disse com gentileza, antes de perguntar)
...
- Cadê a Beatriz?
- Ué? Sou eu! (Tudo bem, de óculos escuros, cabelos presos e suada, mas ainda era eu!)
-Ai meu Deus (risos) Pela foto, eu achei que fosse uma criança.
- HAHAHAHAHAHA Puxa moço, obrigada!


Essa é a primeira vez que eu sou confundida como se fosse a minha própria mãe. Veja bem, não com a minha mãe, mas como mãe de mim mesma!


Desce o pano, né?
*Tentei digitalizar a foto para mostrar para vocês, mas o scanner está de mal comigo!

9.2.11

Bora


Estado de espírito: ansiosa
Ansiedade me causa nervoso
Resuktado: dor de estômago
Chaaaato isso
Parece que estou devendo na praça e não é nada disso
É só um visto que preciso tirar
E um email que precisa chegar
Além do dia lotado de afazeres
Bora viver, não é?

8.2.11

Livros

Foto Isabela Stamm

Que nem pinto no lixo!
Ganhei LIVROS de presente:

* "Sete Prazeres"  by Willard Spiegelman

* "Fora de Mim" by Martha Medeiros

* "A Ditadura de Beleza e a Revolução das Mulheres" by Augusto Cury

* "Comprometida" by Elizabeth Gilbert

* "O Semeador de Ideias" by Augusto Cury

Acabei de ler a biografia não-autorizada da Oprah Winfrey - e você sai com uma sensação de admiração e repulsa no mesmo grau (eu senti, pelo menos) e estou no finzinho de "Encantar o Mundo pela Palavra", que uma querida amiga me deu. Eu sei, nenhum clássico, mas os clássicos devem estar me esperando durante a faculdade. Deixa eles comigo para mais tarde!

Desperte os sentidos

Zeca by Rodrigo Almeida

Sabe? Buscar a qualidade da vida é viver para apreciar os pequenos acontecimentos também. Já reparou que certas coisas aparentemente insignificantes deixam de fazer o seu sentido especial e passam a ser apenas parte da roda viva dos dias? Não estou julgando ninguém e nem dizendo que se faz errado, porque, afinal, o que se há de fazer? Mas acredito que e aceito quando alguém me diz:

- Pára. Espera um pouco... Respira o agora. Olhe em volta e descarte todo o estresse. Pense no que realmente é importante. Seja. Sorria. Esquece o futuro por alguns instantes e pensa no presente. O presente momento como um presente do tempo. Inspira e coloque para fora tudo aquilo que te aperta o coração.

Eu demorei a compreender o real valor da poesia. Achava um trabalho sonoro. Depois pensava apenas na estética. Um dia me deixei envolver por sua emoção. Até que enfim, todas essas virtudes me mostraram que a poesia pode ser o meu despertador para o agora dos tempo, para viver o momento e aproveitar a beleza do instante. Para quem a faz, muitas vezes, ela serve para eternizar a beleza do passado constante. Ou pode ser somente estética mesmo.

Quem aprecia artes plástica também pode se perder na poética das tintas jogadas ordenadamente nas telas. E essa ordem é na forma de sentimentos, que muitas vezes não se pode delimitar através de contornos pré-concebidos. Pois assim os sentimentos são: sempre novos, sempre a nos surpreender. Porque a pessoa de ontem, já não é mais a de agora. Como um rio que corre na mesma região, mas cujas águas se renovam na constante do tempo.

Hoje eu almocei com a minha Mãe. Saí para almoçar com ela antes dos afazeres tantos. Nossos encontros são geralmente marcados, parte de um cronograma do dia. Mas o presente nos deu de presente um encontro sagrado, nada planejado, entregue ao sabor da mesa. Passeamos pelos corredores do shopping. Tiramos fotos em um lambe-lambe moderno (dentro dessas lojas de material fotográfico). Antes, porém, num ímpeto, fomos para o banheiro com a única finalidade de passar maquiagem. Rimos. Caminhamos pela rua. Ela segurou no meu braço algumas vezes. Eu a protegia com a mão nas costas. Lembramos do meu Pai com muitos sorrisos e histórias engraçadas e percebemos que é muito bom lembrar de quem se ama - porque eu ainda amo meu pai e todas essas histórias maravilhosas que ele deixou para fazer do meu hoje um presente.

É hora de saborear o agora. Buscar a qualidade de vida nas pequenas recordações cotidianos que deixamos para depois. Mas o depois só vem se a gente fizer bem o nosso trabalho agora. Já é hora de sorrir e congelar esse sorriso no papel, por exemplo. Numa fotografia, numa poesia, num desenho, numa frase, numa colagem, numa pintura que te faça sentido, que te desperte os sentidos. Agora.

7.2.11

Fran


Porque o AMOR tem várias formas
e a amizade sincera e devota
é uma das manifestações
mais lindas dele (o amor). 
Isso é MUITO bom e agradável...

Coisinhas

Muito calor no Rio. Passei mal na rua, o que é absurdamente desagradável. A gente se sente infinitamente fragilizada, porque protagoniza cenas que as pessoas ficam olhando. Como eu, abraçada na árvore, tentado encontrar um lugar discreto para vomitar. Nessa situação, ninguém consegue ser discreto, não é verdade?

***

Andei de van (do tipo coletivo interestadual) pela primeira vez, voltando de Niterói. Sabe que adorei o passeio? Estava vazia, tinha bancos bem estofados e um ar condicionado de gelar o pensamento. E eu achando que quem tinha voltado de barca é que estava fazendo um bom negócio. Eu enjôo :) Um jeito mais glamuroso de ser pobre hahahaha

***
Comprei um steamer. Vamos ver se consigo passar roupa na vertical! Eu não nasci para ser dona de casa do tempo antigo. Viva a modernidade!

***
Não tenho paciência pra televisão!

5.2.11

© Daniel ReRicha

Um dia de muitos eventos
Quero contemplar o agora
Amanhã é um novo dia
Eu durmo, mas a minha esperança não adormece

4.2.11

Carão-Postal (não cartão-postal)

© Dave Nitsche


Beleza é algo realmente subjetivo, vocês não acham? Gosto quando o desenrolar da vida me fornece lições filosóficas, ou mesmo e apenas a comprovação desse pensamento universal e popular. E isso as vezes leva tempo, como na história de hoje.

Quando eu era adolescente, entre 13 e 19 anos, mais ou menos, eu convivi com um grande grupo de pessoas heterogênias, que vinham de vários bairros cariocas. A gente se encontrava com grande constância e éramos formados desde pessoas que moravam em favelas até aquelas que podiam fazer uma viagem internacional anualmente. Quando chegou a época do vestibular, todos nos perdemos pela vida. Ficou a lembrança.

A cinco anos atrás, eu estava em um shopping, quando encontrei com um desses colegas do passado. Era o pior tempo da minha vida, quando até sorrir me causava dor e esforço tremendo. O sujeito não me reconheceu e eu tive que dizer meu nome:

- Caramba Bibi, você mudou completamente...

Blábláblá que resumia que eu estava gorda e feia. Posso o culpar? Eu que era conhecida pelo sorriso tinha apagado do meu rosto o cartão-postal. E a vida seguiu.

Ontem encontrei esse mesmo sujeito no ônibus. Abri o maior sorrisão para ele, que nem se lembrava do nosso último encontro. A primeira coisa que ele me disse?

- Caramba Bibi, você não mudou nadinha da época que nos conhecemos. Tá linda...

10 Lições para se guardar: 1) Beleza é algo realmente subjetivo; 2) O sorriso é um ótimo cartão-postal ou carão-postal; 3) As vezes nem é a questão da aparência física, mas em como estamos por dentro, afinal, fisicamente 5 anos fazem diferença estética, mas não mudam o tal do magnetismo (ou chamem do que quiser); 4) O corpo fala (e também grita); 5) Homens tem a memória tão curta para dados, não é verdade? Já em relação a memória visual...; 6) Ser feliz é um ótimo elixir da juventude; 7) Andar de ônibus nem é tão ruim assim, apesar dos solavancos, você pode ganhar elogios; 8) Seja e isso basta; 9) É sempre bom deixar boas lembranças, mas quando você estiver na fossa, evite encontrar amigos do passado que te falam a verdade dos fatos de forma nua e crua; 10) A vida está ai para te surpreender e te ensinar a cada esquina.