30.8.11

Bach no Bosque

Fui dar uma espiadinha no blog da KT, que protagonizou o primeiro encontro de leitores do BibideBicicleta no Bibi Lanches, aqui no Rio. Era saudade que me chamava, mas encontrei uma coisa que me deixou "breathless", como disse a ela. 


Achei que a minha capacidade de me emocionar com coisas aparentemente simples estivesse reduzida. Já fui uma pessoa tão à flor da pele... Achava que certos canais emocionais tivessem fechado o gargalo e se tornado mais rudes e menos fluidos com as circunstâncias. Estava errada. Bach no Bosque foi arrepio na pele e lágrimas contidas nos olhos. 


Cresci com essa música sendo executada ao piano na minha frente. Conhecia os seus acordes, sem nunca ter aprendido efetivamente a tocá-la (ou cantá-la, já que meu instrumento é a voz). Não sabia quem era Bach, não imaginava a sua grandeza quando a sua canção já havia feito morada na alma.


Essa música, composta originalmente em alemão, chama-se "Jesus Alegria dos Homens" (Jesus bleibet meine Freude) e é parte final de uma cantata batizada de "Coração e Boca e Ações e Vida", numa livre tradução. Foi a 32º cantata composta por Bach, no ano de 1716. E como a música transcende tempo, espaço, guerras, modismos, mundos e reina sublime mais de 300 anos depois. Mesmo se reinventando, como no comercial a seguir...






- Estou blogada contigo!
:(



Idosos de Mãos Dadas

A blogosfera está cheia de coisas sem sentido. Vez ou outra a gente topa com uma boa ideia, como a que eu vou mostrar aqui. Ainda há espaço para elas, as boas ideias, e acredito que devam ser partilhadas. Portanto: 

Formada em Comunicação Social, Olivia Gissing encontrou nas ruas da cidade do Canadá, a inspiração para o blog Old People Holdin Hands ("Idosos de mãos dadas"), que reúne fotos de casais da "melhor idade" em cenas românticas.

Uma das cenas que me deixou mais encantada foi a protagonizada pelo casal Maurice e Janice. Eu tenho um amigo, o Mito, que sempre colocava uma foto ou imagem no fotoblog dele e inventar diálogos possíveis para aquela situação apresentada. E nos convidava a fazer o mesmo. Eu adorava soltar a imaginação nesse exercício de criatividade... Mas a vida é, tantas vezes, tão mais interessante. 




Maurice: “We’re being featured on what? Blog? Never seen it.” 
("Nós vamos ser registrados em que? Blog? Nunca vi isso.")


Janice: “Oh hush Dennis, quick, forget hand holding, do something drastic! The grandkids will never believe this.”
("Oh, corta essa Dennis, rápido, esquece esse negócio de dar as mãos e faça alguma coisa drástica. Nossos netos nunca acreditarão nisso".)


- com certeza, eu seria como ela :) Nada de Bibi de bengala!


29.8.11




Sabedoria e auto-ilusão



Curiosa

Gente, só um aparte político, que é coisa que eu não compreendo...
Mas não deixei de notar:

Essa semana a Imprensa parecia em Lua de Mel com a presidenta Dilma Rousseff. Caem 4 Ministros antes de um ano de Governo e a coisa muda radicalmente de figura. Opinião pública e de vários colunistas formadores de opinião (nem todos). Essa história de fazer a limpa anima muito a gente (e muita gente), mas a lama é tanta, que eu peço a Deus (juro para vocês que peço), que ela tenha fôlego. E por fôlego a gente pode tomar (se quiser) como eufemismo para várias outras palavras. Ou outras figuras de linguagem também.



A falta de escrúpulos é endêmica no brasileiro, as vezes eu penso. Ou é questão de transmissão de DNA corrupto. Se isso fosse possível... Não em todos, mas numa boa parcela, principalmente entre aqueles que tem poder de decisão sobre qualquer jurisdição que envolva mandos e verbas. Não falo apenas da esfera política/pública, embora a pertinácia na área sempre nos leve a usá-los como exemplo. É quase como se a regra do jogo da vida fosse se dar bem em cima do outro e os que na regra não se enquadarem, sobra a margem do tabuleiro.

"Heavens Angels"

Oi,
Já faz tempo, eu sei
E deu até saudade
Essa coisa boa
Que é ver você
Escrever
Ter vontade...

Voltei Ciclistas. Mas sem nunca ter partido de verdade. É sempre um pulo ali e outro aqui. E nem sempre a internet disponível é sinal de "favorecimento" de conexão entre mim e o mundo virtual. "Fui pro tororó beber água e não achei!" Quer dizer, não me acharam por lá... Interior, cidade pequena, coração grande. Afora um bar ao lado da casa e seus frequentadores com carros velhos de som potente; tudo era de um silêncio estranho. E de tão quieto, roncos vizinhos me tiravam a paz de criança dormindo.

No primeiro dia, levantei tão cedo, tão cedo, que praticamente fui eu que acordei o galo para ele cantar. E como havia um coro de galos na vizinhança, achei a situação muito curiosa, barrando qualquer aborrecimento. Lá fora à meia luz e cá dentro, eu meio zonza. E não é que ao postar minha situação bizarra numa rede social, acabei encontrando outros vampiros insones como eu?! Onde quer que você consiga sinal para um smartphone, pode acreditar que não estará sozinho! hohoho

Não quero muito esticar esse "querido diário". Nossa audiência baixou muito nessa fase, que pena! Mas quem vive de medir índice é o IBOPE, certo? (MAYBE). Vamos em frente. Terminando essa exposição da minha figura, queria deixar registrado mais um ensinamento que a vida me deu. Aos 75 anos, completos no dia anterior, minha Mãe resolve dar asas (sem redbull) a um antigo sonho e curiosidade: andar de moto. E lá foi ela na garupa da Mandioca, sem medo, sem lenço e nem documento. Com o capacete lilás da neta atolado na cabeça e muita disposição para experimentar e realizar seus sonhos. Como deu, como der. Sempre em frente, ousando dentro do seu leque de possibilidades e se aventurando além dele, quando o desafio se faz presente. No dia seguinte, ela pediu para o namorado da neta leva-la de moto para a igreja. Pronto! Não caberia nessa situação dizer que está nascendo uma "Hells Angels", né? Ela estava indo à igreja... Mas talvez uma "Heavens Angels", louca pela garupa de uma moto :)  



"Coisas de Laurinha"

25.8.11

Noite de Amália Rodrigues





Gosto de declamar certas letras de música, como se apenas poesia fossem. E me esmero, capricho na entonação. Faço para mim mesma um festival, um sarau, uma celebração...


"Não queiras gostar de mim
Sem que eu te peça
Nem me dês nada que ao fim
Eu não mereça
Vê se me deitas depois
Culpas no rosto
Isto é sincero
Por que não quero dar-te um desgosto

De quem eu gosto
Nem às paredes confesso
E até aposto
Que não gosto de ninguém
Podes sorrir, podes mentir, podes chorar também
De quem eu gosto
Nem às paredes confesso..." 




Três minutos!

HAHA 
Hoje é dia do MIOJO! 



No ano de 2002, ele era o grande salvador da minha cozinha 
(o matador da fome instantânea ou vice e versa) 
Depois disso, nunca mais... 
Amante infiel.

Parabéns a todos os envolvidos :)


Tá falado!

24.8.11

Light by night

Viver com som e fúria e dormir com melodia e poesia:




E por falar em saudade onde anda você?
Onde andam seus olhos que a gente não vê?
Onde anda esse corpo
Que me deixou louco de tanto prazer?
E por falar em beleza onde anda a canção
Que se ouvia na noite dos bares de então
Onde a gente ficava,onde a gente se amava
Em total solidão
Hoje eu saio na noite vazia
Numa boemia sem razão de ser
Na rotina dos bares,que apesar dos pesares,
Me trazem você
E por falar em paixão, em razão de viver,
Você bem que podia me aparecer
Nesses mesmos lugares, na noite, nos bares
Onde anda você?



# Morri Poetinha :)

Frases



Chico Buarque disse: Quando você me deixou, meu bem / Me disse pra ser feliz e passar bem / Quis morrer


Moa respondeu: morri


Bibi replicou: morre-se um pouco a cada despedida.


E assim nasce uma frase:


"Morre-se um pouco a cada despedida" 
- Bia Amorim


Salada Mental





♫ "O dia passa, horas se estendem / as pessoas ao redor nunca me entendem / então deixe viver, deixe ficar / deixe estar como está"  ♪





Pois então! Ando assim: um dia é tão pouco. Um dia é muito. Quando vi, já foi. E acabei não escrevendo a felicidade de passar das 95 mil visitas em dois anos. Outro fenômeno é que durante muito tempo o Mural da Fama Ciclista emperra em um número e de repente, não mais que de repente esse número de Ciclistas que seguem o blog salta vertiginosamente (para os meus modestos padrões). Agora estamos com 134 pessoas. Alguns novos fantasminhas ocultos. Vá lá. É a democracia na internet, embora eu goste de exercer meu viés de pequena tirana de guidom e rodas vez ou outra. hehehe

E as crônicas que tenho que entregar semanalmente? O assunto ainda me assusta e infelizmente ainda não criei ritmo. Hoje a internet ainda pifou e eu percebi como já somos uma geração tão dependente (seja de que idade for, contanto que nos entreguemos à coisa).

Tenho conhecido umas pessoas bacanas, mas a minha fase é de motivação sub-20. O que pode ser bom e ruim. Uma safra Pinot Noir de professores: Fred, Glorinha Pina, meus amores.

'tava pensando que ninguém é uma "Adélia Prado" (Gregório de Matos ou quem você admire) impunemente. Acredito que a genialidade e a loucura andam de mãos dadas, coladinhas, no mesmo compasso cardíaco/ ou vital / ou mitocondrial / sinaptico. Não que a Adélia/Gregório seja louca(o) (não costumo verificar a carteirinha de ninguém, até porque a definição de loucura pode ser poeticamente analisada, o que destoa da definição cruenta da palavra expressa segundo o dicionário), também não que não seja. Relegar criações e pensamentos para além das fronteiras da sua existência - e influenciar pessoas - é uma benção e um fardo. Resta-nos, aos intensos, buscar pela suavidade em tudo e em todos. Sabe a tal da insustentável leveza do ser? Pois é, estou devaneando, me acompanhem, por gentileza... 

Dois sites que adorei e preciso olhar com muito mais calma: 
1) TodoProsa - o blog de Sérgio Rodrigues no site da Veja. Ele falou sobre um livro do publicitário Jonathan Frazen que achei genial: "Microestilo: a arte de escrever pequeno". #Jesuiscomopreciso! 

2) Einstein.br - o site do hospital Albert Einstein traz alguma matérias e curiosidades sobre saúde. Li uma matéria dizendo que o sono agitado pode causar desequilíbrio no organismo e tal e coisa e coisa e tal. Além do óbvio, a matéria alerta para um monte de estímulo que eu mesma me aplico antes de dormir e que cooperam para essa minha luta com colchão e travesseiro. Por isso, também, estou sempre cansada. Meu sono não é restaurador. #Chato, né?


   

22.8.11

And darlin', darlin', stand by me,


"When the night has come
And the land is dark
And the moon is the only light we'll see
No I won't be afraid, no I won't be afraid
Just as long as you stand, stand by me"

O autor dessa canção lindíssima, Jerry Leiber, morreu hoje, aos 78 anos. 
Um garoto. Um poeta. Um gênio.

Deles e eu



"Ideias podem ser tão majestosas e sólidas quantos as mais belas catedrais. 
Ideias podem ser mais poderosas que a própria espada. 
E é por isso que as ideias são tão temidas pelos regimes de força" 
- Ministro Celso de Mello

I need some (quite) peace 
like that (in the picture) 
to let my ideas shine


I need some hugs either :)
(And who does not?)



Soltas


Vamos às soltinhas para dar dinamismo à página!

* Cara, o bafão da semana foi o Silvio Santos aparecer totalmente informal na festa de 30 anos com os funcionários do SBT: camisa floral, bermudão rosa e chinelo (e que pernas tem o SS, viu? A cruzadinha denunciou a malhação!). Ok, o cara estava em seu hotel, no Guarujá... Eu fico impressionada com a capacidade desse homem de surpreender e de se superar aos 80 anos de idade. Uma pessoa fora de série. Agora, muito mais impressionante foi a humildade de seu discurso e a grandeza das suas palavras. Acho bacana ele conseguir ser o profissional arrojado, que sabe pesar a mão e o cara simples, que valoriza o tempo em família.

Várias frases do discurso me encantaram:

"Se você não sonhar alto, se você administrar bem a sua empresa com os pés no chão, não se preocupando nem com o primeiro colocado, nem com o segundo, nem com o último, se você fizer aquilo que a sua intuição manda, e usar o bom senso, deixando de lado a vaidade, você tem todas as possibilidades de conseguir o seu objetivo”.

“Todas as coisas têm que ser lutadas. Quando você consegue uma coisa fácil, desconfie. Porque ela não é tão fácil quanto parece. Continue trabalhando, continue apostando na sua intuição, continue com os pés no chão, e não se importe com o que a sua esposa fala, com o que os seus filhos falam, com o que os seus amigos falam. Se importe com aquilo que você vive, o seu dia a dia. Pelo menos foi assim que eu consegui, de camelô a ser banqueiro".

* Tenho uma aula que me dá pressão baixa. Durmo sistematicamente, não importa o que faça para evitar. E olha que já tentei de tudo! Menos choque elétrico... A professora é branca, tem cabelos brancos, vai em tons pastéis, fala baixo, monocórdica e ainda ministra uma matéria que eu não consigo compreender uma palavra! Hoje até me animei, porque recebemos uma nova aluna, CHINESA. Tenho medo da China. Não a china, minha nova coleguinha, mas do país... Adivinha com quem ela foi falar primeiro? Pois é... E ela fala português bem, minha gente. Pior que disse que vai me ensinar chinês. UIA! Talvez aprenda mais da língua estranha, que da matéria que me dá dormência nos neurônios!

* Para quem acompanha minha evolução como motorista no curso, que para mim era igual ao AA: "sim, eu tenho medo de direção", um aviso: essa pessoa já estaciona! vaga (tipo) de shopping! A lateral é em outra aula! UEBA!

* Para quem é de fora (tudo bem, não os de outro planeta), o Rio de Janeiro será palco de UM MONTE de eventos nesses anos pela frente. Cada vez que alguém anuncia algo novo que vai rolar aqui, meu coração treme de nervoso. É como se a sua agenda fosse lotando de atividades, que você nem foi consultado se quer ou não participar... Mas tudo acontece na porta da sua casa, sabe como é? 

Teremos encontro do Papa com a juventude Católica, Copa, Olimpíada, reunião de líderes mundias, Rock In Rio, tivemos concurso de miss universo, Jogos Militares, Favelas Pacificadas (foi um evento transmitido ao vivo pela Globo), Paul McCartney no Engenhão (!), a descoberta do assassino de Norma... E ainda a vinda de Lady Gaga (e uma ressurreta Britney Spears, será que ainda dá onda em alguém?)... Ufa! 

Troco tudo isso (ou quase, com algumas negociações) pela Bienal do Livro, que começa dia 1 de setembro. Ô alegria! Seria ainda maior se eu tivesse com grana para comprar tudo o que o coração e a mente desejam. Mas como nem tudo é perfeito, só a possibilidade de ir lá e ver aquele mundo de lançamentos, de editores e editoras, de escritores - todos num mesmo lugar... Esse é meu Rock in Rio! (tirando a Katy Perry, que é a coisa mais adolescente que eu gostaria de ver no festival. Confesso).

* Acabei de ver o filme 127 Horas. Não recomendo. É um bom filme (teve indicação ao Oscar e tals), mas não para o tempo frio, quando as nossas sinapses estão mais lentas, a serotonina baixa... Já viu o drama, né? Mas fica a lição, que passo aqui para vocês: sempre que sair de casa, avise para onde vai. O filme reforça essa necessidade, que parece controle, mas pode ser uma informação fundamental para manter todos os seus membros em seus lugares exatos no corpo e papapá. Outra coisa: não saia de casa sem o seu canivete suiço. Eu disse SUIÇO, não chinês! (vou ali comprar o meu...)
     

21.8.11

Indo dormir em meio aos anos 80

 ♩
  ♪
  ♫ E o mundo em volta da ferida
Em transes loucos, transas nossas
De mãos atadas vistas grossas
É muito pouco amor à vida

(...)
We are the world lá nas paradas
E gerações desperdiçadas
Em tantas lutas sem sentido
Fecha as cortinas do passado
Mundo grilado, dolorido
Que se conforma
♩ 
                              ♪
                                 ♫

Fotos

Chico Buarque por Rogério Faissal


Eu AMO as fotos do livro WC do fotógrafo Rogério Faissal

Mas agora eles precisam ir...


 Estado atual: levemente deprimida

Essa semana fiz uma limpa daquelas no meu quarto. Coloquei o guarda-roupas abaixo. Abri portas que praticamente me catapultaram a outro mundo, minha Nárnia pessoal. No fundo falso do armário, havia uma espécie de alçapão, que me deu muito trabalho. Meu pai também escondia ali um monte de coisas inúteis que ele se recusava a dar cabo no arquivo morto: lixo. Coisas que foram morrendo com o tempo e o esquecimento naquele lugar escuro. Exemplo? Várias antenas de televisão. Eu disse várias. Se ele fosse cientista ou algo assim, poderia jurar que ele estava em algum tipo de projeto para contato extraterrestre. Mas não... Era uma mania.

Atrás das coisas que não me faziam sentido e me lotavam de espirros de tanta poeira, achei velhos conhecidos: Sabrina, Pedro, Beth, Denise, Débora, Milena, Zoé, Lily, Moranguinho, Barbie e Pato Donald. Um saco de brinquedos que outroram me serviram de companhia e hoje me trazem de volta um tempo de tantas lembranças especiais. Fazem sentido para mim e a história que criamos juntos. Todos velhos, sujos, cabelos se desmanchando, alguns sem roupa. Mas absolutamente todos dotados de personalidade. Um a um fui lembrando seus nomes enquanto deixavam o saco. Sabia de que forma os havia amado. E como amei, apesar de só estar com eles, quando eu mesma estava só.

Agora chegou a hora da despedida de verdade. Talvez, o fato de tê-los guardado tenha significado um até breve para mim... Na esperança de reencontrar neles quem eu fui naquela época. Ou de não me deixar o tempo escorrer pelas mãos sem as "testemunhas" daquele passado cheio de imaginação, dúvida, sonhos e questionamentos. Demorei a crescer. E cresci muito rápido. Não há antagonismos para o que se deu dentro de mim. Foi realmente assim. Aos cinco anos tive que começar a lidar com a responsabilidade de ser diabética numa época de poucos recursos e menos ainda de informação. As que chegavam davam conta de morte, amputação, cegueira e sobrevida. Havia restrições alimentares e a necessidade de injeções diárias. 

E nesse cenário aterrorizante para alguém tão pequena, em que o doce da vida e a liberdade de ir e vir plenamente foi retirada de subto e não devidamente explicada, eu consegui ser uma criança feliz. Meus brinquedos sabem disso. Meus amiguinhos (os de verdade) também. Com uma dessas bonecas eu passei um mês numa cama de hospital. Ela, a Beth, me "viu" reaprender a andar, coisa que nenhum amiguinho de verdade viu. 

Mas agora eles precisam ir... Eu preciso deixá-los existir em outra realidade. Talvez para que outras crianças também se realizem através deles. Talvez para que escutem novos segredos e os guardem em seu silêncio de existir. Porque meus bonecos conversavam comigo sem voz. Com a voz do coração. É hora de através de sua existência, dar resistência a quem tem tanto amor - quanto eu tinha - para dar. 



Essa semana



Li tanta coisa essa semana. E não foi literatura (apenas). Um pouco de tudo nesse meu cardápio cultural (que ainda falta tanto, esperem para ver a nova lista de livros que me faltam na bagagem. É de dar vergonha a qualquer candidato a erudição, mas vamos em frente!). E nesse menu de sabor especial, fiquei com uma frase, em especial, retirada de uma entrevista de Páginas Amarelas da Veja, como o escritor e psiquiatra inglês Anthony Daniels (que atende pelo pseudônimo de Theodore Dalrymple).

"Negar sua capacidade de discernimento é o mesmo que diminuir sua humanidade"  
- Anthony Daniels


19.8.11

O exercício da escrita...

Geeeeeeeeente!


Agora que eu tenho a obrigação de escrever pelo menos uma crônica por semana, eu me encontro (e me percebo sempre) em pânico em frente ao computador. Quando não havia o compromisso (só o prazer de dividir algo com vocês) era tão fácil e natural. Mas acho que essa "necessidade" imposta pela mestre das letras é uma forma também da gente lidar com a pressão do tempo e a questão da necessidade compulsória. 


Gosto quando ela me diz que "a escrita é um exercício diário"
Tenho tentado me exercitar.
Pois é. 
Tenho tentado buscar no silêncio uma forma de expressão, mas está mais fácil achar batom na cueca de padre, que conseguir um precioso momento de silêncio nessa terra barulhenta que a gente vive.
Sim. Estou tendo um siricutico
Pronto. Voltei ao normal.

Para Val



Val, ontem estava atrás das frases do Ítalo Calvino e uma delas me chamou primeiro atenção. Não a selecionei, porque achava que era forte para o tipo de texto que eu pretendia colocar aqui. Contudo, essa é uma frase muito bacana para ilustrar o desabafo que você colocou no post que fiz para você (antes). Assim sendo, como não acredito em coincidências, creio que era mesmo para eu tê-la selecionado... Só que para hoje:


"Eu a amava, em suma. E era infeliz. 
Mas como poderia ela
algum dia entender essa minha infelicidade? 
Há aqueles que se condenam ao cinzento da vida mais medíocre 
porque tiveram alguma dor, alguma desgraça; 
mas há também aqueles que o fazem porque tiveram mais sorte 
do que poderiam suportar" 
 Ítalo Calvino

óia ou espia


Para animar o Saulo.
Ou tentar :)

Oásis de letras



"O coração humano é um instrumento de muitas cordas. O perfeito conhecedor dos homens sabe fazê-las vibrar todas, como um bom músico" 
- Charles Dickens


Não sei o porquê, mas hoje eu pensei nesse autor inglês (romancista da era vitoriana) e me deu vontade de procurar por algumas frases dele. Fiquei com essa.


Outra coincidência foi eu ter entrado na livraria esse fim de semana e ter dado de cara com um livro imenso de Ítalo Calvino na estante. Como estava com um amigo Calvinista, fiz a ponte entre Ítalo (o escritor e jornalista italiano morto em 1985) e João Calvino (digamos, o "fundador" do Calvinismo - apelido que, dizem, ele odiava. O cara que viveu na época da Reforma Protestante no início do século 16).


Hoje, a professora "fodástica", mestre das letras que me influencia diretamente na faculdade e que me obriga a fazer pelo menos uma crônica semanal, falou para lermos Ítalo Calvino. Adoro essas coisas. Parece o universo brincando com a gente. 


"A vida de uma pessoa consiste num conjunto de acontecimentos, dos quais o último também poderia mudar o sentido de todo o conjunto" 
- Ítalo Calvino

18.8.11

UEBA!

É tão bom quando o que a gente escreve algo transcende o blog e até a internet :)

Coloquei AQUI a receita do bolo de caneca que a Bia Bug me passou por e-mail. Ratificando, como ela mesmo fez nas pedaladas, a receita não é bem dela, já que também foi passada por amiga (dela).  Mas acredito que uma coisa assim tão fantásticas, como uma receita de algo gostoso que pode ser feito num piscar de olhos, deva mesmo virar uma corrente do bem, indo de casa em casa.

Nesse mesmo dia, a Ciclista Sintia disse que tentaria a receita e que depois falaria como ficou. Só que a Vivi foi mais rápida! Fez o bolo de caneca e ainda me mandou uma foto lindíssima, de dar água na boca! (sério, estou apaixonada pela fotografia).

Se alguém mais tentar a receita, me conta ou me manda uma fotinho? Achei sensacional!

Foto Vivianne Gomes
E só para animar um pouco mais o desafio... Ai vai a receita do Bolo de Laranja na Caneca! Mãos à obra... Ou melhor, canecas ao forno minha gente!


Bolo de Laranja na Caneca

1 ovo
3 colheres (sopa) de óleo
4 colheres (sopa) rasas de açúcar
4 colheres (sopa) de suco de laranja
5 colheres (sopa) rasas de farinha de trigo
1 colher (café) de fermento químico
 
Cobertura 2 colheres (sopa) açúcar de confeiteiro
3 colheres (chá) de suco de laranja
 
Modo de Fazer
Coloque o ovo na caneca e bata com o garfo. Adicione o óleo, o açúcar e o suco de laranja e misture. Agregue a farinha, o fermento e misture até uniformizar. Leve por três minutos ao microondas em potência máxima.
 
Cobertura Junte tudo e cubra o bolo.
 
Dica: Vale trocar o suco de laranja pelo de limão. Mas, para essa substituição, em vez de 4 colheres (sopa) do sumo da laranja, use 2 colheres (sopa) do limão, pois o sabor é mais acentuado. 



17.8.11

Pensamento


Please, give peace a chance.
Inside.

Big Wheel

Foto de Tom Sutton
It makes me remember you and that old dream we lived (and leave) together.
You know who you are...
And now, your baby looks like that.
Pretty!
Mine? No longer exists :(
But makes me happy your baby brights a lot now, 
with all the lights on to shine our memories.
Still scared to get in :)
[ten-four]

Quarta-feira


ÔOOOOOO dia difícil

16.8.11

Querida Val... (Mas pode ser você!)


From Joey Chou do blog this isnt happiness

Acho fofo quando alguém recorre ao BibideBicicleta quando precisa de um carinho, um alento, uma palavra (ou muitas, né?). Há os que transcendem o espaço da tela e acabam virando personagens de um contexto poético, recebem cartas para um problema individual, mas que ao mesmo tempo é coletivo. Bom é ajudar uma pessoa na caminhada e saber que aquelas palavras podem ser terrenos férteis ou sementes para muitos outros jardineiros momentaneamente cansados ou com as mãos calejadas. Foi assim com a Val.

“Querida Val,
Ser mãe é um dos mistérios do universo. É algo que vem trazer sentido e bagunça à vida. Um ser frágil, que cresce na barriga e nasce tão cheio de personalidade. Um ser, que de tão frágil, exaure, mas com apenas um sorriso enche a vida de significado. Há realmente muitas coisas com as quais a gente não sonha ou planeja, mas elas simplesmente acontecem. Nem tudo tem que fazer sentido, mas tudo tem a sua finalidade.Toda a ação nos transforma e nos brinda com um elenco de consequências que nos tornam mais fortes e corajosas.

Não acho que você tenha perdido as rédeas da sua vida. Agora você está lidando com as consequências de uma escolha. Amar e cuidar de um filho é parte das rédeas da vida e nisso você tem que colocar o melhor de si, buscar no seu interior sentimentos positivos. Não queira resolver tudo em apenas um momento. Você tem que elencar as prioridades e ir executando apenas o que é possível, sem se cobrar por aquilo que humanamente não pode dar conta. Antes de amar seu filho, você tem que amar a você mesma. Antes de querer dar conta das rédeas da sua vida, você tem que parar, respirar e analisar qual é a sua vida nesse exato momento. A gente sempre muda e isso é inevitável. Faça a podagem do sem sentido como uma boa jardineira.

Não tenha medo de pedir socorro. Não deixe que as pessoas te digam que você não tem motivos para estar triste. Você tem motivos para ser feliz, mas também tem todo o direito de estar frágil, carente e insegura em relação ao futuro. A gente realmente pensa que se firmar o passo, poderemos prever o que será o nosso futuro. Não podemos! A única solução é ter o coração aberto, a mente alerta e aquela vontade de ser feliz apesar das circunstâncias. Não coloque a sua felicidade nas mãos de outra pessoa. Traga ela para o centro da sua vida e viva! Se você está no poço, foi porque escolheu ir para lá.

Mas escuta: o poço é só um lugar. Aproveite o silêncio do poço para não ouvir mais ninguém, senão a si mesma. Aproveite a solidão desse lugar para falar com Deus, que te ouve sem condições e está pronto para te carregar no colo. O poço é um lugar protegido do caos do mundo veloz e cheio de barulhos que nos confundem. É quase um útero materno, mas com falta de calor. Este tem que nascer dentro de você, para virar a força para escalar a montanha de pedra. Vamos ter que escalar muitas montanhas ainda. Assim como você se deixou levar para o poço, deixe-se levar para o jardim que te espera lá em cima. Olhe para cima: você verá o céu com as estrelas, você verá o sol com o seu calor. Busque o calor e esteja alerta e apta para lidar com as suas consequências".

Com amor,
Bibi


Hummmmm

Bolo de Caneca da Bia Bug



Bolo de caneca
Você prepara na própria caneca que irá consumir e em apenas 3 minutos no microondas


Ingredientes:
 - 1 ovo pequeno
- 4 colheres (sopa) de leite 
- 3 colheres (sopa) de óleo 
- 2 colheres (sopa) rasas de chocolate em pó 
- 4 colheres (sopa) rasas de açúcar 
- 4 colheres (sopa) rasas de farinha de trigo 
- 1 colher (café) rasa de fermento em pó 


Modo de Preparo: 
- Coloque o ovo na caneca e bata bem com um garfo. 
- Acrescente o óleo, o açúcar, o leite, o chocolate e bata mais. 
- Acrescente a farinha e o fermento e mexa delicadamente até incorpar. 
- Leve por 3 minutos no microondas na potência máxima. 


Dicas:
- A caneca deve ter capacidade de 300ml. 
- A medida de colher é sempre rasa. 
- Você pode servir este bolo com coberturas, caldas, castanhas e sorvete. 
E pode comer quente :) 


***


*Não sei quem foi que disse que loira é burra... Essa Bia Bug é a loira mais espertinha que eu conheço :)

News



Os trabalhinhos de edição e redação dessa semana:


Sofisticação na festa de Fina Estampa




A Arte de Viver de Ligia Azevedo



Tiago Abravanel revive Tim Maia


Mariana Hein: superação


Paixão de Latino e Rayanne

15.8.11

Separadas por uma Mulher Maravilha



Katy Perry não é a cara da Scarlet O'Hara dos dias de hoje?

131

Lu Santana tem um blog, mas não sei quem ela é! E não sou ruim da cabeça e nem doente do pé... Quer dizer, sei que há controvérsias quanto à minha cabeça em certas horas e ao meu pé, quando tenho que dançar coladinho, BUT! A Lu Santana é de São Paulo e se tornou a seguidora de número 131. Essa foi só uma maneira de dizer que a fila pedala e não anda. E de desejar que ela se sinta em casa no BibideBicicleta, esse blog sobre mim e sobre os meus. Sobre o amor e a reflexão do nada- ou do tudo - que é existir.


***
Meu irmão Lucas Ferraz bombando na Ana Maria Braga! Ah, clica AQUI vai!?
Orgulho total. Um sonho que tivemos juntos e que a vida tratou de tornar realidade para ele. Mas a alegria é nossa, porque eu vibro com cada pedrinha de sucesso que ele coloca em sua construção. #Amordeverdade


***
Vocês que moram longe do Rio estão realmente por dentro da situação dos bueiros explosivos no Rio de Janeiro? Eu sinto que a minha dignidade é sistematicamente roubada. Hoje explodiu um aqui perto de casa; minha Mãe na rua... Justamente o lugar pelo qual ela passa... Liguei três vezes para o celular. Só na terceira ela atendeu. Agora você imagina a angústia não só de quem anda na rua, mas como quem está em casa, refém dos acontecimentos? Agora antes de sair de casa é mais um item para oração: proteção contra violência, balas perdidas e bueiros explosivos. Ainda bem que Deus é Deus, porque se fosse outro, tava lascado!


***
Ligia Azevedo pediu para ser minha amiga no Facebook. Uma "deusa" que envelhece com dignidade e contrariando o tempo... Ela lembrou que faz sete anos do nosso último encontro. UIA :( ! Ainda me sinto a caçulinha do Jornalismo (como sempre fui nas redações, até que...). Agora já sou Tia. Não quero ser avó! Help! 




Estou um pouco sumida, não é?

ganonymouz.tumblr.com
Estou um pouco sumida, não é? Fui atrás de alguns amores e fiquei apenas com algumas histórias e antigas paixões. Não há mal nisso. Ganhei muito mais que perdi. Na verdade, o que teria perdido? Tempo? Naaaaaaão... Ganhei alguns amigos, experiência e fatos para contar. Ou melhor, esses fatos são apenas para lembrar (contar por dentro). Fatos para inspirar. Em nenhum deles me senti deixada ou diminuída. Lotei o coração de vida e o braço de abraço. 


Estou um pouco sumida, não é? Fui atrás de trabalho, que me desse algum dinheiro para sustentar esse luxo que escolhi para mim, que é não ter um emprego fixo para poder estudar. E trabalho esporádico dá até mais trabalho que o tal do "trampo nosso do dia a dia". Você tem pouquíssimo tempo para pegar o funcionamento do lugar e desenvolver ali algo tão marcante, que te convoquem para novas empreitadas. Fui espremida que nem laranja. Foi bom: virei suco! Mas ainda ando catando moedas. Fato!


Estou um pouco sumida, não é? Fui atrás de inspiração para escrever as tarefas da faculdade. Fui atrás de novas linhas em outros blogs, livros, revistas. Fui ao cinema em busca de transcender a minha imaginação e aportar no delírio alheio expresso em motion pictures. Fui chamar o cara da NET para trocar o aparelho pifado antes da viagem ao Maranhão. E entendi o porquê de odiar televisão: ela me rouba o tempo. Essa partícula a qual tenho tanta dificuldade de administrar.  


Estou um pouco sumida, não é? Fui atrás de paciência para reorganizar o quarto. Estive em obras. Poeira, sujeira, noites no sofá, cheiro de tinta impregnado na alma. Tudo fora do lugar. Até eu mesma: confusa naquela confusão. Abri gavetas, rasguei fotos, doei roupas, organizei meus livros na estante (na do quarto, não na Biblioteca Fer Chaib). Armazenei documentos, rasguei papéis e até poesias antigas, cujo destinatário não faz parte das boas lembranças. Encontrei treco, preciosidades, desenhos que fizeram de mim e que nunca me retrataram fielmente, remédios vencidos, cartas não enviadas, matérias antigas e até um rádio de carro, que nunca tive, ainda na caixa.


Estou um pouco sumida, não é? Fui atrás de cuidar de coisas de família. Visitei a casa do Saulo e depois a da Thais (onde estancamos uma inundação com panos de perfex). Liguei para Tia N, que está animada com novos projetos familiares. Troquei MSN com a priminha linda que vai casar na praia , no próximo mês. Ouvi conselhos da Fer (nova irmã) e almocei com a cunhada-eterna no coração. Saí com a Onça. Cuidei da mamãe. Vou ver minha sobrinha a Ex-Ruivinha chegar à antiga maior idade. Passei o dia dos pais numa tristeza danada, mas não chorei. Deixei se aquietar os sentimentos no peito e esperei pelo tempo.


Estou um pouco sumida, não é? Fui viver além do virtual e no real busquei por mim mesma... "Se alguém por mim perguntar, diga que eu só vou voltar quando me encontrar"**. Diz que fui por ai. Ainda estou tentando me achar. Essa que hoje me tornei.


** Trecho da música de Candeia.

9.8.11

News


Brasileiro é bicho criativo mesmo.
Mais um site de humor tirando onda com as celebridades:


Há quem goste e há quem não goste.
Há espaço para as duas opiniões.



Soltas lidas por ai

Como fazer para postar um trabalho de sete páginas?
Acho que ninguém merece algo tão extenso aqui.
Aliás, o texto está muito bom, por sinal. 
E olha que eu sou bem crítica!
Pensarei, pensarei...

***
Vocês leram sobre a maluca que colocou o chip do tesão? 
Eu só espero que seja mesmo  problemas hormonais.
A solução parece bacana para quem precisa.
É uma cápsula de testosterona que fica sob a pele.
Pequenas doses diárias são liberadas.
Rola um equilíbrio.
Obviamente é para quem precisa...
... E não para quem quer assar a "bibinha" sem levar ao forno.

***
Li outra coisa que me deixou boladinha.
São as transformações dos nossos dias...
Também sou contra garotas colocarem silicone antes dos 18 anos.
A matéria falava sobre esses e outros procedimentos.
Orelha de abano, deformidades até nariz eu acho válido.
Mas silicone?
Oe?
Sou careta. Ok. E daí?

***
Essa eu morri de rir só de imaginar a cena.
Vocês sabem que o Rio foi palco de um grande evento recentemente, né?
 Os Jogos Mundiais Militares.
Talvez um treino para as duas grandes competições que nos esperam.
Rolou uma solenidade com rango para os atletas.
A maionese tava passada e os banheiros não deram conta!
Fila de atleta para jogar "cargas ao mar", para usar um termo bem da área.
Agora você imagina uma coisa dessas?
Não dá para pensar em outra coisas, senão que os jogos serão mesmo uma cagança.
   

News



Meus últimos trabalhos de ação e edição:

Edmundo, uma fera mansa cercada por sua família


Rosamaria Murtinho na Ilha de Caras


Heitor Martinez e suas gêmeas no Beach Park


Letícia Birkheuer


Bia Lula da Silva: peça


Peça de Gregório Divivier


Contardo Calligaris e Mônica Torres


As mãos de Milton Gonçalves

Carlos Bonow e o filho, Conrado


Leandro Sapucahy se inspira na família


Claudia Raia: musa irradia bem-estar


Angela Vieira: cuidados


Mario Frias e Ju