6.7.10

Pablo, qual é a músicãn?



Juro a vocês: hoje voltei para casa, de pé no coletivo boa parte do caminho, pensando no que deveria e poderia escrever aqui. É parte da minha prática de escrita, é parte da exorcização dos meus fantasmas, é parte do tratamento das minhas questões, é parte do meu compromisso com o mundo virtual. Mas tem dias, como o de hoje, que a coisa simplesmente não flui. E não adianta forçar, porque o burro empaca. E foi assim o dia todo: cabeça fervilhando de motivos e ideias e contestações e provocações de toda sorte. Mas o legislativo não estava coadunando com o executivo. Não houve sintonia.


E ainda me sentei aqui de fronte para a máquina, na tentativa vã de encontrar na transpiração uma linha elucidativa. Nada. Como bem observou o PJ (Ciclista do boné vermelho), o humor voltou às paradas de sucesso, mas a estrutura para sustentar essa nova/velha brisa ainda se encontra em fina camada. Como eu bem contei para o (Ciclista Matrix/Oráculo), fiquei feliz de ter voltado a conseguir fazer um texto poético, bem definido, cheio de intenções certeiras, mas acredito que tenha sido aquele fôlego que a gente toma na superfície antes de voltar a um grande mergulho voluntário.

Minha vida é meu oceano de oportunidades.


Então aqui me coloco, me exponho e tento uma busca sem mapas. E nada. Nado. O mais estranho é que apenas um pensamento petulante não pára de martelar a minha cabeça. Ridículo, mas incessante:

Estava no trabalho e a coleguinha F veio com a novidade:

- Sabe aquela música do Daniel “Hoje a Jiripoca vai piar, vai”?
- Como não saber? Essa é uma daquelas músicas chiclete que a gente não sabe por que sabe cantar e que uma vez cantada, assoviada que seja, ela nunca mais sai do nosso pensamento...
- Pois é! Hoje eu descobri que não é Jiripoca! O nome da ave é Juripoca.
- Hum, pérolas do Mobral.


Pois bem, estou há dois dias tentando cantar mentalmente “Hoje a Juripoca vai piar, vai” para ver se cola... E desfazer a contribuição ignorante à seleta lista de palavras estranhas que o cancioneiro nacional acrescenta ao meu vocabulário.

Pablo, qual é a músicãn?
Socorro!

4 comentários:

Ingrid disse...

Ainda bem q não canto mais "Trocando de biquini sem parar"... acho q esse é bate o record em pessoas q cantam errado! rsrs

Obs: Jurava q era Jiripoca!

Bibi disse...

Aprendendo com o BibideBicicleta! Daniel confunde a gente!

Bia Bug disse...

pra mim, era Jurupoca! hehehehe

Bibi disse...

E agora? E agora? Vc é bióloga e eu acredito mais em você!