4.10.12

Direito de resposta

Renata Seara disse...
Tentei ler, mas, que saco. Pastor João, hã? Volta pra poesia ou aprende a escrever com graça do cotidiano sem cor, ainda que o enredo seja leste europeu....
7:39 PM
Excluir
Blogger Renata Seara disse...
Tentei ler, mas, que saco. Pastor João, hã? Volta pra poesia ou aprende a escrever com graça do cotidiano sem cor, ainda que o enredo seja leste europeu....
7:41 PM
Excluir
Blogger Bibi disse...
Renata, estamos vivendo uma era de plena democracia por essas bandas daqui! Graças a Deus! De forma que, diferentemente do que rolou na fase de Hitler, na Alemanha, onde a juventude comunista era coagida a ler Mein Kampf ou na China, quando Mao Tsé-Tung obrigou a população à leitura de O Livro Vermelho... Aqui nada é obrigatório. Assim sendo, se a leitura dos relatos não te agrada, é tão simples! NÃO LEIA!

Mas sabe... Uma das coisas mais tristes do ser humano é criticar sem estar munido de um mínimo de informação. Pior, é me mandar aprender a escrever, quando você dá claros indícios de que nem aprendeu a LER! Afinal, se o tivesse aprendido a contento, veria, logo no começo do texto, que trata-se de um relato feito por outra pessoa; não eu. De forma que a sua orientação de me mandar aprender a escrever não cabe, já a minha...

Outra coisa. Se o blog realmente te interessasse, a ponto de você gastar seu precioso tempo com um comentário (postado duplamente, aliás! Insistente, né? rs), saberia de quem se trata a autora desses relatos e teria um pouco mais de respeito por seus cabelos brancos. Respeito? Quem é dotado de algum respeito - ou educação, no mínimo - mandaria o outro aprender a escrever com graça? Pois bem, também nisso não podemos achar consideração. Quando falta o respeito, falta a base para qualquer argumentação cabível e possível. Assim sendo, mais um item para desconsiderar.

Gosto de críticas Renata. Críticas com base em algo que não seja apenas ferir o outro. Gosto das críticas que levam à reflexão. Foram elas, as críticas, que me fizeram melhorar meu texto durante a minha carreira e ele, meu texto, me levou a lugares fantásticos pessoal e profissionalmente. Assim eu tento me manter, quando sinto a necessidade de criticar alguém: abrindo caminhos e não jogando pedras.

Eu te agradeço por me orientar a voltar para a poesia. Sinal de que há algo que eu faça que deve de alguma maneira te satisfazer (ou te tocar), não é? Satisfazer à sua crítica intensa no seu "cotidiano sem cor". Porque chamar o Leste Europeu de sem cor, puxa vida... Muito provavelmente você não esteve lá. Mas vá, eu recomendo! Mesmo que não tenha apreciado os relatos. Vá colocar mais cor na sua existência, viajar deveria ser comparado a uma dose das boas de serotonina, porque regula nosso humor que é uma beleza!

Por fim, esclarecendo a você, e a quem mais interessar possa, eu coloquei os relatos por alguns motivos particulares:

1) Porque a autora é minha mãe;
2) Porque as pessoas que viajaram conosco pediram uma cópia;
3) Porque muita gente que não foi estava interessada em ler os relatos (esses mesmos);
4) Porque o blog é MEU.

Assim sendo, espero ter garantido o meu direito de resposta com classe. Espero que você procure pensar que atrás das letras existem pessoas (e sentimentos). Espero que as críticas te façam crescer. Espero que saiamos dessa, pessoas melhores, mais evoluídas, mais dispostas, mais tolerantes, mais criativas, mais proativas, mais felizes.

Obrigada,
Bibi

7 comentários:

Saulo disse...

Direito devido e exercido! Lamentável a causa do nascimento deste direito. Tomara que Renata reflita, explique-se ou peça desculpas.
Parabéns à sobriedade da resposta.
Bjus

Bibi disse...

Eu acho que cada um pode se expressar, mas sempre com propriedade e ciente de que o outro terá direito a falar de si, sobre si e retrucar as proposições com propriedade. O bom é que eu sempre aprendi a construir e faço da oportunidade, diante do meu entender, a chance do exercício de um monte de coisas, inclusive, do amor.

All we need is love and love is all we need.

Leopoldo E. Arnold disse...

Ninguém mandou ela invadir a tua "seara"...

Bibi disse...

Leopoldo :) Todo mundo é livre para escrever aqui, afinal, um blog é uma ferramenta de domínio público. Tudo o que a gente escreve fica passível de análise do outro.

Só que as pessoas, protegidas pela tela, acreditam que a internet é terra de ninguém. E não é. Acho que a mesma educação que você usa quando vai à casa de alguém, por exemplo, deva ser usada na internet, nas redes sociais e afins. Essa é a etiqueta.

Criticar é válido! Só com a humildade de ouvir o outro e ponderar sobre suas palavras, é que a gente cresce. Até hoje pergunto para pessoas de minha confiança sobre a tez de um texto. O que não quer dizer que o olhar de fora deva ser considerado sempre, sem ponderar sobre. Não somos máquinas e ninguém nunca vai conseguir acompanhar a nossa subjetividade, a força de uma intenção.

Assim, claro, deixo o que escrevo livre para a preciação e críticas. Mas seja educado e construtivo. Todos tem direito a uma opinião, inclusive opiniões contrárias às minhas - são essas que geram debate e edificam e solidificam pensamentos e posturas. Tudo com etiqueta. Tudo pautado pelo bom gosto, responsabilidade e respeito. O BibideBicicleta também é a minha casa, parte dela, parte de mim.

Obrigada pelo apoio, seu lindo!

Ingrid disse...

Taí a resposta de alguém que sabe escrever... Continuo te acompanhando, mesmo que discretamente! Ah, eu amo sua mãe!!!!!

Bibi disse...

Discreta é bom, mas qdo escreve... é melhor ainda; é bom-bom :)

Renata Seara disse...

Falei pra aprender a escrever com graça do cotidiano sem cor pq o assunto "hj acordamos", "fulana caiu" é chaterrimo. Puro cotidiano sem graça em plena Europa! N acho o leste europeu ruim ou sem cor, achei o diário de bordo da velhota ruim, só isso.
Ah, e n me escondo atrás de internet, posso falar que achei ruim tomando um suco contigo em qualquer lugar do Rio.
Tem ciclista que acha que devo pedir desculpas...ok, devo me desculpar por gostar tbm dos outros textos? Ou a questão é: fui uma escrota, critiquei em baixo nível, n precisava deixar tão claro que achei o conteúdo chato, afinal, tem cabelos brancos quem escreveu!
Ok , ok...fui grossa. Desculpas formais estou pedindo...mas insisto, sei que o blog é seu, mas da próxima vez manda os textos para o clube do dominó por e-mail.