4.11.09

Bem-me-quer


A Andy hoje parecia mais angustiada que de costume. Não tardou em me fazer uma daquelas perguntas muito profundas e de resposta nada fácil:



"Como a gente faz para arrancar do coração alguém de quem
gostamos demais?"



Será mesmo que existe uma resposta única e suficiente para esse tipo de questionamento interno humano? E mais: existiria alguma fórmula no mundo que nos satisfizesse a todos da mesma maneira, com a mesma forma e intensidade? Somos seres tão únicos e individuais em nossas virtudes e egoísmos. Muitas vezes o amor pode ser um campo de batalhas e - muito provavelmente - quando o terreno do amor vira um campo de batalha, é sinal de que o sentimento que o constituiu jaz longe dali há muito tempo. Ou não? Pode o amor apenas adormecer dentro de um peito machucado?


Não há resposta única ou suficiente para as várias perguntas que surgem à partir de uma só... "Bem-me-quer ou mal-me-quer?", começamos a nos perguntar ainda bem imaturos nas questões do coração. "Bem-me-quer ou mal-me-quer?", continuamos a nos indagar tanto tempo depois.


Será mesmo, Andy querida, que existe uma resposta única e suficiente para solucionar questões tão intrigantes que nascem de um simples "Bem-me-quer"? Fico a me perguntar se o coração tem porta; se ele tem posse e posseiro; se existe algum tipo de controle nesse território que é governado por tantas emoções????


Andy, não é fácil amar. Assim como acredito que amar é uma escolha, talvez desamar também o seja... E escolhas nunca são fáceis ou simples quando reinam as nossas emoções... Partezinhas tão incontroláveis desse todo que forma o nosso eu: único e suficiente.

2 comentários:

LuisPaulo disse...

Pois eh, para alguém, como eu, que nunca amou ninguém, no sentido da reflexão, posso dizer que o amor está envolto em um emaranhado de sentimentos. Tenho a ousadia de afirmar que amar é sempre a ação que está envolvida em complexidade. Por isso, penso que amar envolve o simples e sofisticado, o belo e o feio, o ignorante(no significado estrutural da palavra) e o inteligente, a alegria e atrsiteza, enfim....amar é....

Ana Martins disse...

Por que querer arrancar do peito algo ou alguém que se ama?

Ama com desgosto?
Desgosto é amargo... caminho aberto para deixá-lo de lado...

Amor rejeitado? Supera-se com mais amor. deixe que seu amor encontre a felicidade com outro alguém. Isso de fato é amor, e não posse.

Alguém que já partiu? Deixe-o vivo dentro de ti...