7.8.09

Minha Ruivinha

Amanhã a Ruivinha volta para a casa dela. E o meu coração já está apertaaaaaaaado. Foram dias maravilhosos antes e depois das Aventuras de Bibica. Eu sou uma pessoa que tem muita dificuldade com despedidas. Mesmo que elas sejam apenas um "até breve". A gente não controla o dia de amanhã, a ação do tempo, então, tenta prolongar o doce sabor de um belo encontro.

Desde muito pequena ela vem me visitar aqui em casa. E quando parte, leva um pedaço de mim (estou sempre inteira e em mil pedaços para os que amo). Antes, levava um pedaço bem molhado, porque eu ficava escondida na janela chorando. Depois entendi que a vida é um eterno partir e chegar. E que ate nisso age a nossa escolha. O desejo de se estar. Ainda assim despedidas me perturbam, mas não mais me dilaceram. Ficam os momentos, fica a história, fica algo de bom que tivemos a sorte de construir juntas. E como foi bom.

Tenho um amor tão grande pela Ruivinha... Maior do que eu já pude tentar medir (mesmo que as vezes a queira bem perto e em outras, deseje que ela vá cantar bem longe! hehehe). Um amor libertário, que deixa que ela faça as suas próprias escolhas e que forge o chão do seu caminho único - nunca só. Eu me mantenho por perto, como farol, como canoa, como livro, como mochila, como travesseiro, como trovão. Por ela, para ela e para nós duas. Lição de vida. E projeto esse amor para o futuro. Quem sabe não seja abençoada com filhos e possa exercer esse mesmo amor treinado, de forma mais próxima e confiante? Com os meus, os deles, os nossos, os de alguém. No amor real as barreiras são inexistentes e as fronteiras são saudáveis. Só sei que seria uma experiência incrível. Não tenho todas as respostas e nunca as terei. Teço a lã para fazer meu casaquinho. E sempre espero que o resultado seja o mais belo que as minhas mãos sejam capazes de bordar.

Eu só sei que amo amar. Amo mesmo! E que amo essa garotinha que o meu irmão fez há 17 anos. Quando ela me chama de TIA, essa parece ser a palavra mais linda do mundo. Ainda hoje, quando ela não é mais uma criança que precisa segurar os meus dedinhos para andar; mas uma moça que cuida de mim também.

6 comentários:

Bia Bug disse...

Beijo, Ruivinha!!! Muito bom passar esse tempo com vc! Qq coisa, é só chamar que eu conecto correndo! hehehe

Bibi disse...

Maior viagem. não é Bia Bug? Amei viajar com vc loira!

Sarinha* disse...

Que lindo!

Saulo disse...

Ela também me deixa todo bobo com seu jeito carinhoso de substituir o "primo" pelo "tio"... lindo, lindo!

Bibi disse...

Eu disse para ela que seremos nos tres, um pelo outro, para sempre!

Anônimo disse...

La ringrazio per Blog intiresny