11.9.12

Desabafo

Então... Não é fácil conviver com Diabetes Tipo 1. Claro, hoje parece muito mais simples que há 30 anos, quando comecei nessa estrada. Sou um pouco ignorante em relação à minha doença, mas não ao meu tratamento. Descubro, a cada temporada, uma novidade na área médica - Graças a Deus elas existem e aparecem para aumentar a nossa chance de viver perto daquilo que é normal. Infelizmente,  maior parte dessas descobertas acontece porque eu tenho que resolver uma sequela por conviver tanto tempo com a minha DM1. Descobri, essa semana, uma sequela um pouco grave. Um princípio de neuropatia, mas que diz a minha médica que é reversível. Já está nas mãos de Deus. A minha parte também deve e tem que ser feita. Minha mãe sempre me diz que Deus não faz o que está a nosso alcance fazer. Preciso me conscientizar e me adaptar às mudanças necessárias. Pior que tudo me chega nessa fase em que ando sentindo uma falta danada do Meu Pai.

Não conto isso aqui para vocês - apenas - como um desabafo. Poderia e talvez até devesse deixar relegado ao MODO PARTICULAR. Mas o Bibi de Bicicleta também já chegou a um modo confessional tão sincero e aberto, que achei que justificasse. Justifica porque acho que eu e todo mundo temos sobressaltos na nossa jornada. E todos precisamos buscar e encontrar ânimo para dar a virada, fazer valer, reagir. Problemas é algo bastante natural ao ser humano. A maneira pela qual lidamos com eles é que faz toda a diferença. A forma que escolhemos para enxergar as adversidades é que vai dar a medida necessária para recolher esse ânimo, esse gás necessário para a reação. Assim sendo, o que é meu vai ficar por minha conta e o sobrenatural está na fé que temos no Filho de Deus, porque é Ele que nos faz vencedores.

Um dia de cada vez, meus amigos. Para mim e para vocês. Na alegria e na adversidade. Na paz de espírito e no turbilhão dos pensamentos que nos tragam. Olhar além... Vamos todos!

Beijos

4 comentários:

Aline, Vinícius e Laura disse...


Te amo prima, estou contigo, sempre.

Bibi disse...

Não, Aline, eu tô sozinha... Estrada difícil.

Aline, Vinícius e Laura disse...

Em algumas estradas todos nós estamos mesmo.

Li a respeito, procurei, pesquisei, mas não em sites "confiáveis". Phoda, mas parece bem comum .
Se não estou contigo aí nessa estrada, posso desejar ao menos que nessa estrada aí você ande tranquila, serena, bem.

Se não servir, penso em ti...eu aqui, você aí.

bjos

Thais disse...

Ai prima, nem sei o que dizer...!!
Prefiro o silêncio de uma pequena oração. Quantas vezes, cada um de nós, caminhamos sozinhos nas nossas estradas. Por vezes, dolorosas, prá caramba!!!! Mas temos pessoas que nos amam e que nos transmitem bons pensamentos e principalmente, temos um Deus que é maior do que qualquer problema. Força, prima, e "tamos juntas"!!!