26.4.10

Vida & Morte


Que dia o de hoje!


Estou passando aqui para fazer uma tabelinha rápida, tocar para o gol e correr para o abraço. Já acordei sonada... O fim de semana foi um pouco complicado. Não por tarefas, mas por demandas internas. Arrasto correntes fantasmas vez ou outra e me dou o direito de ser errada, me saber assim e continuar por falta de forças para reagir. Depois compreendo que o mar tem seus mistérios e sigo remando.


Fui trabalhar. Um remédio amargo de poder cicatrizante. E vou te falar uma coisa: foi dia de estreia. Pela primeira vez na vida escrevi um obituário. Não ficou lá essas maioneses, né? Faltou um pouco de molho, eu diria. Mas também - que rufem os tambores - esse obituário era de gente viva. Explico: é uma prática no jornalismo deixar certos textos prontos. Quando uma pessoa célebre morre, a velocidade dos acontecimentos é créu 6! Você não pode parar para pesquisar a vida e obra de alguém, porque precisa soltar a informação (ainda mais em tempos de internet). A mim coube essa tarefa delicadíssima hoje. O dom mais precioso que a gente tem é a vida. E eu torço (mesmo), para que esse obituário não tenha um dia a mais e nem um dia a menos do que aquilo que é justo.


Há muita gente que tem dificuldade com a morte. Li outro dia uma entrevista que dizia que aquele que tem dificuldade com a morte é porque sempre teve dificuldade com a vida. Será? Não digo que sim e nem que não, deixo que você dê a sua opinião...

9 comentários:

Rodrigo Albuquerque Maranhão disse...

Querida, levanta e anda!

Bibi disse...

Digo: hey, alguém muito importante disse exatamente essa frase!

CK disse...

Oi Bee,
ótimo seu Post... "Velocidade seis" foi hilário, mas acho que temos facilidade em agir como Tomé agiu, tomando posse da síndrome do "querer colocar o dedo na ferida primeiro, pra crer depois".

O único instrumento que temos que fala claramente sobre morte e vida, é a Bíblia, mais especificamente nos documentos chamados EVANGELHOS, no Novo Testamento. Depois vieram os "anexos" (Livros Apócrifos, outras "versões da Bíblia" e destaco o: "O EVANGELHO Segundo a Religião Tal" - Diante do que conhecemos da Palavra, queria ver o inverso desta "versão": "A Religião Tal, Segundo O EVANGELHO...". Diante disto tudo, veríamos que há muita inconsistência nestas supostas reescrituras do que é singular. Enfim, essas versões só ocultam a Verdade e deturpam o Instrumento de Regra e Prática que fala claramente sobre o que é VIDA e o que é a MORTE.

As versões não deveriam existir, pois foram frutos do Homem querendo dar uma roupagem que lhes facilite as atitudes, mas claramente proibidos pela própria Bíblia, nas últimas linhas do Apocalípse. Diante de novos textos sobre algo que não se compreende, as pessoas normalemente pensam assim: "...é melhor não tocar no assunto...".

O Homem tem medo do que não conhece e por outro lado, tem medo de exercitar o que chamamos de fé.
É mais fácil não falar... deixa chegar a hora...

Bj

CK.

Val disse...

Bia, minha Flor, como diria o mestre:

"O correr da vida embrulha tudo.
A vida é assim: esquenta, esfria, aperta e daí afrouxa, sossega e depois desinquieta.
Tudo que ela quer da gente é coragem", João Guimarães Rosa.

Viver, mesmo com todos os obstáculos é maravilhoso!! Temos, não posso generalizar, tenho prazer em estar viva e poder ver o dia amanhecer. Porque sei que é um novo dia, um novo recomeço. Vivo, intensamente, assim como sofro...rsrs. Sou daquelas q vai de cabeça. Ñ tenho medo de quebrar a cara. Tenho medo de me arrepender de não ter feito algo q queria.

Qto. a morrer, não tenho medo, afinal é fato. Ninguém foge disso. Creio que as pessoas, assim como eu, têm medo do que virá após a morte. Ou seja, medo do desconhecido.

Afinal, o que acontece depois?! Somos mesmo só matéria?! O espirito é eterno?!

Respostas que só terei após a passagem...por isso prefiro acreditar q tenho que viver intensamente porque depois não quero reencarnar pra fazer coisas q tive medo de fazer na reencarnação anterior...

...acho q é isso!!

Saudades de ti!!
Bjkas,

Val disse...

OBS.: estava me esquecendo..rs. Que coincidência, postei sobre a Vida hoje e, ainda ñ tinha entrado no seu Blog. Andamos reflexivas, né?!

Bjkas,

Saulo disse...

Ihh Eu sempre tive dificuldade com a morte!! Vc acha que tive dificuldades com a vida?? Tive (e tenho) dificuldades NA vida, mas que não as tem? Fato é que constantemente o tema morte me assusta e desestabiliza. Recentemente passei um vôo acordado com medo da porcaria do avião cair. Repetia para mim mesmo... estou num bom avião, numa boa rota, numa boa empresa, comendo um bom jantar, numa boa companhia, indo para um bom destino... numa boa turbulê.ê.ê.ê.ência, sobre um bom oceado, bem afamado, bem profundo, bem afastado de qualquer radar...

Bibi disse...

Vá: Florzinha linda.... Estou te devendo uma resposta. Gosto de você!

Saulo: papo para face to face. Te amo!

fernando disse...

Com o crescimento da perspctiva de vida, tratamentos rejuvenecedores, avanços das ciências, a ideia de morte tem se ausentado do tempo que alguns chamam de pós-modernidade, eu prefiro o título "Além do Caos".

Bibi disse...

Fernando: nenhum conceito ou nenhuma evolução do tempo altera drasticamente a percepção que as pessoas têm em relação à morte. Não o que vem após dela, mas o fato dela chegar e o fato dela ser um fato concreto, mas muito misterioso. Um marco indelével na linha do tempo, mesmo que esse tempo seja "alongado" pelas conquistas das pós-modernidade.