18.7.13

É disso que estou atrás: equilíbrio


São tempos complicados para a nossa saúde. Todos os amigos da época da faculdade - ok, 90%, que seja - que encontro hoje, precisam perder peso. Estão com ponteiro para o alto de um modo que dá muito para notar. Eu, inclusive. Quem era fitness desde essa época, no geral, continua, fugindo da estatística ruim. É uma observação pertinente inoportuna, talvez. O que acontece conosco?

Estresse, vida corrida, má alimentação, falta de exercício e as facilidades da vida urbana moderna... A gente sabe. Mas percebo um crescente na cintura que antes era até raro em balneários preocupados com a forma física, como o Rio de Janeiro. Essa porção da população ainda existe, lógico, já que é quase uma vocação da cidade, mas ela já anda ao lado de gente mais preenchida, como eu. Como diz o P: "filé com capinha de gordura".

Depois de uma série de avalanches na minha saúde, meus hormônios também entraram em parafuso e o ponteiro da balança começou a brincar de escalar a montanha. Precisa descer. Tento fazer a minha parte. Depois de meses de sopa de legumes com alguns dias de carninha e poucas pisadas de bola com a sobremesa, adivinhem? Nada aconteceu. TOIN. Agora voltei à academia e estou me doutrinando a essa realidade. Novos olhares sobre a casa das massas trabalhadas virão.

Duas coisas, em especial, dentre tantas, acho um saco:

1) O olhar das pessoas sobre os seus kg extras, como se fosse um relaxo e muitas vezes não é, a luta é grande e em tantas ocasiões sobre inimigos que nem sempre é você quem controla (remédios, hormônios, desfunções);

2) A numeração maluca das lojas de roupa no Brasil: odeio! (isso porque a gente não está falando de preço);   


Não quero ser a musa sarada da academia ou o ícone do Instagram, até porque nem o tenho... Mas depois que se perde um bem tão precioso como a sua integridade na saúde, é desse tópico que você quer ser musa: do bem-estar. Uma simples falta de vitaminas e ferro pode balançar o seu sistema. É disso que estou atrás: estar em equilíbrio. É disso que todo mundo devia se gabar e buscar no corpo, na mente, nas atitudes, nas atividades, na sua participação em sociedade. 

2 comentários:

Denise Kelen disse...

auhauahuhauhuahuhuahuhuhauauah
muito boa essa imagem Bibi.
Saudade de passar aqui!
;-)

Bibi disse...

É a revolta com humor e amor hehehe