3.7.09

Um Coração


Eu quero um segundo coração.

Não um novo coração; mas um a mais.

Quero um novo coração tranquilo

Um que caiba no peito

Um que não acelere tanto

Um que não morra de saudade

Um menos intenso, mas não menos amante

Um mais tolerante

Eu quero um novo coração menos errante

Um com mais espaço

Para novas possibilidades

Um com menos espaço

Para tantas bagunças e incertezas em vão

Se um novo coração tivesse

Talvez eu fosse menos intensa

Talvez mais densa

Talvez mais propensa ao amor próprio

E menos dada a aventuras de ocasião

E nesse coração

Caberiam tantos sorrisos

Beijos doces

Abraços benditos

Que já habitam o meu velho coração

Mas haveria mais espaço para a beleza

E menos tristeza

E não menos emoção

O meu velho coração já não bate

Apanha

Arranha

E se ganha

Um bem-querer

Ele volta a bater de mansinho

Coração mesquinho

Funciona só com os impulsos de fora

Grita

Chora

Comemora

Pequenas vitórias

Novas histórias

Velhas memórias

Amores vãos...

Não esse novo coração!

Ele seria dono do peito

E teria respeito

Até com a minha ingratidão

Tenho um coração pequenininho

Um coração mocinho

Que cabe muita emoção

Um coração esperto

Um coração aberto

Um coração incerto

Em constante ebulição

Se eu tivesse um outro coração

Ele não seria partido

Ele seria ardido

Ele seria vilão

Será mesmo que eu conseguiria?

Será mesmo que um dia

Eu terei esse novo coração?

Acho difícil ter maldade

Num lugar que só há bondade

E também muita saudade

De um tempo em que a falsidade

Era só tema de canção

Ah! Esse pobre coração

Que agora canta baixinho

Que geme fininho

Que não tem sossego

Que ta sem chamego

Que ta sem emprego

De toda a sua emoção

Eu quero um segundo coração.

Não um novo coração; mas um a mais.

Eu quero ter paz

Para seguir um bom caminho

Para receber tanto carinho

Para ser feliz sozinho

Mesmo estando acompanhando

Mas o que eu tenho é um coração cansado

Que quer se renovar

E reaprender a voar

Pra não ficar tão bagunçado

Um coração alado

Um coração amado

Um coração gamado

Esse coração já existe

Seja ele alegre ou triste

Esse sempre vai ser

O meu velho coração

(Bia Amorim)

9 comentários:

Ana Raquel =] disse...

Bibi, esse poema é uma das coisas mais lindas que já li na minha vida... sem exageros!rs É de sua autoria?? Eu tive que "roubar" uma parte dele e colocar lá no meu cantinho pra completar o sentido do meu dia:"o meu velho coração já não bate, apanha, arranha e se ganha um bem-querer ele volta a bater de mansinho, coração mesquinho, funciona só com os impulsos de fora, grita, chora, comemora" O meu coração está assim, funcionado só com os "impulsos de fora" rs, lindoooooo! E me desculpe pelo pequeno roubo, mas te garanto que foi por uma boa causa. Ótimo fds pra vc!!!Vc é especial menina! Bjoooooooo

Ana Raquel =] disse...

E olha que procurei seu e-mail por esse blog inteiroooo! Tem como vc deixar seu e-mail pra mim?!?!rsrsrsrs Pode deixar em off lá no meu cantinho.

Emilio Gallo disse...

Rsrsssss. Jea ví que vc adora uma polêmica, adoro isso! Vc é das minhas.
Amei o coraçnao, enorme, grandioso.
Bjs
Emilio

Bibi disse...

AnaQuel, vou disponibilizar o meu e-mail! Vc não é a primeira que pede...

Emilio: Eu gooooooooooosssssssssto! hahahahhhahah

Priscila Marinho disse...

"Meu coração bate no fundo do peito num ritmo baixinho de sofrimento"

Ai... ai.. ai... pudera eu ter um novo coração... pudera eu ter um segundo coração igualzinho a isso o que foi descrito....

fernando disse...

Talvez não seja necessário obter um novo coração, mas im seguir o concelho do velho e bom Fernando Pessoa: "Pára coração/Deixa o pensar pra cabeça..."

Bibi disse...

Fernando: Nãaaaaaaaaooooo! Deixaríamos de ser tão emocionais!

Pri: quem canta baixinho um dia grita fortão! Espera e confia!

Saulo disse...

Cute cute!! Mais bonitinho fica, quand lido por você!

Bibi disse...

Rola uma interpretação, não é, meu querido?