4.7.09

Vendedor de Sonhos


Pobre poeta
desconhece do amor as cores

Só sabe lembrar as dores
que mancharam o peito seu
Mas te digo com todo efeito
Que para fazer feliz uma moça
Não precisas lembrar a dor
não precisas usar da força
Só precisas falar de amor
viva dessas novas memórias
viva de contar suas pintas
vive para fazer viagens
E guardar imagens
de uma nova história
Bendito é o poeta
quando apazigua o coração
quando revela prazeres
quando é emoção
e expõe seus quereres
os mais íntimos
em primeiro plano
sem medo do abandono
dos desenganos
de pesadelos medonhos
Bendito poeta
vendedor de sonhos

4 comentários:

Saulo disse...

Transformando limões em torrões de açúcar!!

Bibi disse...

Diet, sempre! Olha a glicose...

fernando disse...

Bibi, seus poemas possuem um ar romântico, embora aprecie a literatura, tenho certas restrições contra esta estética, mas percebo que você tem bastante fôlego poe´tico, conseue conduzir o poema sem deixar cair a peteca.

Bibi disse...

É muito provável que eu seja uma romântica incorrigível...