2.12.09

Caderninho


Dei de cara com um caderninho antigos de anotação. Abri em uma página preenchida por tópicos. Eis, na época, o que me chamou atenção e que volta a prender os meus olhos nesse exato momento (foram pensamento jogados, que vou transpor exatamente como anotei):


* Perdas e danos - Dizendo o nome das coisas, começamos a ter controle sobre elas;


* Dor embaixo do tapete da resignação


* Derrubar porta em torno e internamente também;


* É possível uma nova maneira de existir e isso perturba;


* Os males que nos causamos ou nos causaram são sentinelas acusadoras diante de nossa porta;


* Por que agi daquele modo: ingnorância, covardia, autodestruição, autoproteção?


* Amadurecer = reconfigurar padrões;


* Uma boa faxina no armário do coração traz grande alívio;


* Respirar melhor, sonhar...


* Eunucos de emoções limitadas;


* Conflitos entre desejos e culpas permeiam, definem nossa personalidade nos primeiros anos de vida.


E essas frases que falam, calam algum sentido no fundo da sua alma?

2 comentários:

Luke disse...

A última rings a huge bell!

Eu passo a vida tentando me convencer de que eu tenho que me preocupar mais comigo do que com os outros e que culpa é um sentimento inventado pelo catolicismo e, portanto, não serve pra mim...

LuisPaulo disse...

Toca no âmago de nossa existência. Simples como as coisas vida!