11.12.09

A correnteza é forte

Ando tão distraída da vida, do mundo, das coisas, de mim, dos outros, das palavras, das necessidades, dos desejos, das vontades. Ando sem fim. Não acredito na proteção do acaso. Não mesmo. Busco a casualidade com fluxo causal. Domo a ansiedade que se esconde na saudade. Domo? Tento. Não há contento. Vejo sem olhar e olho sem ver. Busco enxergar. Procuro você. Penso, penso, penso e só uma coisa me preenche o pensamento. Está difícil arrumar o que pensar. Está complicado liberar. Tudo está muito vago. Algo é bem sofrido. Nada me é permitido. A correnteza é forte. E me acorrenta. Ando sem norte. Não sou forte. Tenho sorte, não temo a morte. A partida e a chegada estão na mesma estrada. Não adianta lutar. Como esquecer o que você adora lembrar?

6 comentários:

Josselene Marques disse...

Bibi:

Belo texto, garota! Adorei!
Quanto ao 33... Responderei por e-mail convencional, qualquer dia destes.
Ótimo final de semana!

fernando disse...

Bela prosa poética, uns trechos êm relação com "I- Juca Pirama" e com a paródia feita por Oswal de Andrade, é proposital?

Bibi disse...

Joss: obrigada! Dias internos!

Fernando: não conheço nem o original e nem a versão. Tudo o que eu faço nasce de um momento de inspiração real ou inventado. Semmpre suado e sentido!

Anônimo disse...

Profundo e lindo,Bibi.
Só uma coisiha, garota:
Você é forte. E eu também tenho sorte, pois lhe encontrei.
Para você, tudo de bom nessa vida.
E nas outras, também.
bjs.

Bino.

Saulo disse...

Seus sentimentos são tão intensos quanto os meios. Um coração como uma forja de emoções. Sua palavras traduzem esta fornalha... não esqueça... faça como eu, busque qprender a lidar com as lembranças!!

Bibi disse...

Existe uma lembrança franca específica que adora brincar comigo!