13.1.10

Escombros

Procuro em mim
Novas paixões
Outro arremedo
Desilusões
Qualquer coisa que realce a pele
Um tipo de maquiagem
Uma bobagem
Uma emoção
Um bem querer
Um furacão
Pode ser um redemoinho
Guardado em meu interior
Procuro perceber
Sintomas mais claros
Vestígios de sentimentos
Momentos raros
Do tipo que não se repele
Qualquer forma de consolação
Que me retire essa tatuagem
Cravada no peito
Que me leve para bem longe
Desse leito
Marcado
Suado
Rasgado
Essa miragem
Que marcou nossas almas
Com efeito
De uma velha tatuagem
Sem cor
Sem dor
Essa flor
Essa estiagem
Uma folhagem seca
Na paisagem
Que o vento carrega
E o meu corpo se encarrega
De desestruturar
Um tipo de amar
Feito de 'malamar'
Que nos leva
Em direções opostas
Eu e você
Agora de costas
Rumo a outras direções
Outras dimensões
Outro querer
Outra eu, outro você
Vivendo de lembranças
Vazias
Buscando com esperança
Na noite fria
A canção mais bonita
A carícia que excita
A mão que protege
A confiança
A respiração aflita
A moça bonita
O cara interessante
O olhar instigante
Que me fará esquecer
Que essa história
Que ficará no canto da memória
Foi construída
De furtivos encontros
Castelo de cartas
Escombros
- (Bia Amorim)

3 comentários:

Josselene Marques disse...

Bibi:

Quanto sentimento, garota!
Emocioante!!!
Em relação à saúde, está melhor?
Abraços.

Joss.

Márcia disse...

Oi,Bibi!! Melhorzinha?
Recebeu meu email que te mandei ontem?
beijão

Bibi disse...

Meninas, obrigada pelo carinho!