31.1.10

Leminski


Meu mais novo amor literário: Paulo Leminski



Amor, então,

também, acaba?

Não, que eu saiba.

O que eu sei

é que se transforma

numa matéria-prima

que a vida se encarrega

de transformar em raiva.

Ou em rima.

6 comentários:

Luke disse...

Amei o poema e fiquei excitado com a foto. falei.

Bibi disse...

HUMMMMMMMM! Então deu certo! A foto mexe com a gente, né? Uma foto gostosa!

Rodrigo disse...

gostei dos versos!

Bibi disse...

Não são fofos? Leminski era um maluco beleza! Acho que todos os poetas são um pouco loucos, porque sentem demais... Acho bonito. (bora malhar!?)

Vivi disse...

Palavras Geniais!

Bibi disse...

Vivi: as vezes eu penso que há qualquer coisa de genial na simplicidade...