11.5.09

Aprendi no Bar

Fonte: Reprodução Ego (Globo.com)/Philippe Lima/AgNews


Aprender coisas novas é uma ação que me diverte bastante. Acho que é por isso que estou sempre perguntando, prestando atenção em várias coisas ao mesmo tempo ou ouvindo com alegria a mesma história pela “enésima” vez. Tem muita gente de outra geração que acha que erudição só se aprende na escola. Esses mesmos ficariam chocados com a quantidade de coisa que aprendi na mesa de um bar...

Era domingo à noite. Mortos de fome, nosso grupo foi para um bar curtir o fim de noite e matar quem estava nos matando. O grupo? Eu, Bia Bug, Franitos, Onça e Professor Xéu. Eles me provaram que toda a diferença de um encontro se dá pela qualidade das pessoas envolvidas e o nível de bom humor que se encontram naquele momento. Naquela noite tudo estava ótimo! Até o estilo: a Onça de vermelho, eu de preto, a Bug de jeans, O Fran de T-Shirt importada, o Xéu de calça pocket. Cada um na sua e todos na mesma sintonia.

O primeiro assunto em pauta, creiam: Evolução. Não, o debate não era sobre Charles Darwin, apenas. Mas como seu conceito poderia se encaixar na teoria do criacionismo. De que forma a ciência e a fé poderiam coexistir. Darwin era teólogo, mas morreu agnóstico. Por que teve ele que abdicar as questões religiosas para abraçar o conceito científico? E esse papo deu muito pano para manga. Da Bíblia à genética. Da Seleção Natural à questão da contagem de tempo segundo à perspectiva Divina. Do Dilúvio à questão da territorialidade do acontecimento desse fenômeno. Ui! Foi assim que, chocada, aprendi que na época dos Dinossauros não existia o homem. Peraí... Eu sempre vi o homem vestido de roupas de pêlos de animais sendo representado em desenhos a fugir do T-Rex. Eles nunca estiveram sobre a mesma face da Terra na mesma fração de segundos. Uia! E esse foi o segundo tema: as historinhas ilustrativas que criam para nos enganar!

O terceiro assunto foi menos angelical, digamos assim. Não sei porque chegou-se até o nome do Stallone. Sim, na mesa de um bar qualquer assunto é permitido e sabe-se lá como a gente une uma coisa na outra e acaba discutindo até o sexo das formigas! No caso, falávamos sobre o filme O Especialista. Franitos elogiou a produção com Sly à frente. A Onça deixou clara a sua empatia pelo ator, a quem chamou de "muito sexy". Eu olhei torto. Sexy? Pode ser...

Bibi: Mérito para o filme O Especialista, porque conseguiu fazer o Stallone atuar de uma maneira extremamente sexy e convincente. Eu sou louca pela cena que ele faz com a Sheron Stone no chuveiro! Uma das minhas preferidas naquele nível de temperatura e poesia.
Franitos: Eu também me amarro nesse filme e nessa cena, mas até aí não há mérito nenhum! Stallone era ator pornô! Sabe melhor que ninguém fazer esse tipo de atuação.

Minha cara foi de espanto! Eu jamais tinha ouvido falar que Sylvester, o italianinho, Stallone havia atuado em filmes, bem, para adultos! Fui pesquisar mais sobre esse moço que veio filmar em terras brazuco-cariocas e que, dizem, por aqui pretende se fixar por um tempo. 'Van bora'?

Sylvester Stallone nasceu em NY. Os olhos caídos, a voz rouca, a boca parcialmente paralisada é resultado de uma danificação de um nervo facial, atingido pelo fórceps durante o parto. Foi expulso de quatorze escolas. Conseguiu uma bolsa para um colégio americano na Suíça, onde pagava suas aulas de arte dramática ensinando educação física para garotas. Voltou aos Estados Unidos e entrou no departamento de artes dramáticas da Universidade de Miami. Seus professores tentaram desencorajá-lo da carreira de ator e pouco antes de se formar, Stallone desistiu e foi para NY. Sua mãe havia feito uma previsão astrológica de que iria batalhar muito por sete anos e que, depois, faria sucesso como roteirista.

Stallone começou a escrever roteiros com pseudônimos. Fez diversos trabalhos extras para pagar seu aluguel, como limpar a jaula de leões, ser lanterninha de cinema e atuando em alguns trabalhos de pouco valor, como no filme Bananas, de Woody Allen, e estrelando o tal do pornô barato, Party at Kitty and Stud's, que depois trocou de título, passando para O Garanhão Italiano.

Tentando conseguir um trabalho como roteirista, Sly resolveu assistir a uma luta entre Muhammad Ali e Chuck Wepner, foi quando teve a idéia de fazer um roteiro. Levou três dias para escrever a história do boxeador Rocky Balboa. Diversos produtores se interessaram pela história, mas relutavam em aceitar Stallone no papel principal. Sly conseguiu o que queria e Rocky foi filmado com poucas verbas em menos de um mês. O filme foi o grande sucesso de 76, ganhando os Oscar de melhor filme, edição e direção, com indicações de ator e roteiro para Stallone.

O resto você deve saber! E se quiser saber mais, basta ir com amigos a uma boa mesa de bar. Todos os assuntos são possíveis e permitidos!

14 comentários:

Professor Xéu disse...

Hahahhaaha
A noite fói ótima.
É sempre um prazer estar em amabilísimas companhias.

Professor Xéu disse...

Errata: digo amabilíssimas, hehehe

jose luis disse...

pra mim
ele e' canastrao

Bibi disse...

Zé: só gosto dele no instante O Especialista!

Lucas Ferraz disse...

Stallone fez filme pornô???
Rocky foi o primeiro filme não-adulto (digamos assim) dele?

Ele ralou loucamente, se mudou trezentas vezes e limpou até cocô de leão antes de ser quem ele é?

OMG! OMFG!

Quer dizer que para todos neste mundo há esperança!! Sabe o que isso significa? Que nessas horas que a gente achar que tudo está ruim e que nada vai mudar, tudo pode mudar! fazendo minhas as palavras de Gabriel Marques (moptop): "Tudo vai mudar/Será bem melhor...."

hehehe

Viva la vida, babe!!!

Bibi disse...

Ele fez apenas um filme pornô> O primeiro sucesso é Rocky; as outras coisas foram pequeníssimas participações. Qdo ele ficou famoso, o pornô passou a se chamar O Garanhão Italiano. Isso tudo não desqualifica a frase: "Tudo vai mudar/Será bem melhor...". Não foi assim com a Xuxa? "Tudo pode ser, se quiser será, sonho
sempre vem pra quem sonhar".

Bia Bug disse...

Fui pesquisar tb, já que soube dizer que os amigos dinos desapareceram há 65 milhões de anos, mas não sabia exatamente qdo nós, seres do gênero "Homos" surgimos: foi há 2 milhões de anos. Ou seja, 63 milhões de anos nos separam dos répteis gigantes. Beijinhos!

Bibi disse...

Duas meninas pesquisadoras!

bia bacana disse...

Que pena que nós não estávamos n domingo na igreja! Ia adorar sair com vocês e conversar coisas tão bacanas!
Na próxima, quem sabe?
bjk

Bibi disse...

Vc tem green card com a gente!
Foi realmente tão legal! Nem sempre é assim, mas é sempre assim qdo ESSE grupo se junta! hehe

Pastorelli disse...

Tá explicado porque nunca entendi e nem achei graça nenhuma no filme Bananas, Stallone estava lá e eu não sabia... Abraço e sucesso.

Bibi disse...

Pastorelli: hahahahaa Canastrão mesmo, não é?

Saulo disse...

Bom... eu já sabia disso... eu já vi o filme... e é bem fraquinho! Abafa!

Bibi disse...

Então conta aê: é Rambo programado para matar ou é Rocky?