21.6.09

A noite foi gloriosa.
Mas existe uma pequena tirana dentro de mim que vai dormir chateada.
Não porque algo tenha acontecido para me tirar do sério.
Mas porque algo não vai acontecer.
Não por culpa minha, nem por culpa de ninguém.
Coisas da vida.
Coisas da vida andam me aborrecendo.
As pequenas, não as grandes.
Os grandes obstáculos eu nem tomo conhecimento.
Ao invés de escalá-los e saltá-los, eu sempre dou a volta.
Tranquilamente.
As pequenas pedrinhas me machucam o sapato.
E eu amo a caminhada, não posso parar.
Queria caminhar por jardim, para só colher flores.
Até nos jardins eu encontro espinhos.
Meu Jardineiro é fiel e tem as melhores luvas.
Na realidade, ele tem as flores certas.
Só as certas.
Me aventuro por esse caminho de pedras e jardins.
Sinto falta das canções.
Principalmente das marchinhas de carnaval...

6 comentários:

Pastorelli disse...

Eheheheh, as grandes pedras conseguimos desviarmos, mas as pequenas nem a vemos, não é? Abraço e sucesso.

Luke sempre com você. disse...

Não vou te responder. Quem vai responder é a Elis Regina que, aliás, é a única pessoa digna do nome Regina. Porque, sem uma coroa na cabeça, só é Regina com o talento da Elis.

Que me desculpem as feias, mas beleza é fundamental.

"Caía a tarde feito um viaduto
E um bêbado trajando luto
Me lembrou Carlitos...

A lua
Tal qual a dona do bordel
Pedia a cada estrela fria
Um brilho de aluguel

E nuvens!
Lá no mata-borrão do céu
Chupavam manchas torturadas
Que sufoco!
Louco!
O bêbado com chapéu-coco
Fazia irreverências mil
Prá noite do Brasil.
Meu Brasil!...

Que sonha com a volta
Do irmão do Henfil.
Com tanta gente que partiu
Num rabo de foguete
Chora!
A nossa Pátria
Mãe gentil
Choram Marias
E Clarisses
No solo do Brasil...

Mas sei, que uma dor
Assim pungente
Não há de ser inutilmente
A esperança...

Dança na corda bamba
De sombrinha
E em cada passo
Dessa linha
Pode se machucar...

Asas!
A esperança equilibrista
Sabe que o show
De todo artista
Tem que continuar..."

Sambeira disse...

Ai, Bia, pequenas pedras tb me irritam demais, eu ando fazendo um mantra pra elas nao me abalarem. faça tb que ajuda à beça. para as pedras grandes não tem jeito, a gente tem que parar pra quebrar, mas agora as pequenas a gente tem que conseguir pular, nao se preocupar

Bibi disse...

Sambeira: não acredito em mantras e se acreditasse, com meu temperamento, ia ficar louquinha de repetir a mesma frase. Não é para mim. Sou de muitas palavras! rs Sabe o que acontece? Certos abalos acontecem porque a gente tem que crescer. As intensidades mudam para que a gente não se acostume. Coisas, pessoas, lugares, sentimentos, palavras não ditas... Enfrentamos tantas coisas e também a nós mesmos. Somos o nosso grande desafio!

Pastorelli: As pequenas nos distraem e nos tiram do foco. As grandes só nos assustam, mas não perdemos o foco. Às vezes o fôlego, mas não o foco.

Luke: Queria ter asas...

Saulo disse...

Mulheres Piscinianas... extremamente normais!
Te amo!
Bjus

Bibi disse...

Sou Mulher
Sou de Peixes
Sou Ciclotímica
Sou Intensa
Sou Poeta
Sou feita de letras
Sou amor e saudade
O que há de normal nisso?